Ex-Preparador físico do Atlético cobra R$700 mil do clube na Justiça

A instituição trava batalha judicial diante do ex-Preparador físico do Atlético, que cobra valores referentes a direitos não recebidos

Luis Fernando Filho
Jornalista formado, 23 anos, e fanático pelo futebol bem jogado para além das quatro linhas. Twitter: @luisfernanfilho/Insta: @luisfrrs

Crédito: Reprodução/Youtbe

O ex-Preparador físico do Atlético-MG, Otávio Neves, está cobrando R$700 mil da do clube na Justiça do Trabalho. O profissional afirma que não recebeu valores trabalhistas após saída.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Otávio trabalhou no Galo entre os anos de 2006 e 2019, ou seja, com longa passagem no time mineiro. Por isso, o ex-preparador físico do Atlético cobra alguns direitos trabalhistas.

Entre eles, por exemplo, os ‘bichos’- objetivos alcançados pelo clube em jogos-, horas extras e FGTS, sem contar com os demais valores também cobrados.

A decisão da Justiça sobre o ex-preparador físico do Atlético

Otávio venceu a batalha judicial no primeiro julgamento comandado pela 42ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, que condenou o Galo nos seguintes valores: multa, FGTS e horas extras.

No entanto, a justiça negou o pedido do profissional referente aos ‘bichos’ dentro do clube. No entanto, a sentença publica em 2019 não revelou o valor a ser recebido pelo ex-funcionário.

O Atlético, por sua vez, se manifestou sobre assunto em contato com o “Superesportes”, de Minhas Gerais, alegando que o clube não desistirá de reverter a situação.

“Está em grau de recurso ainda. Temos que aguardar. Há um advogado trabalhista do clube atuando no caso. O clube vai insistir nas suas teses de defesa e aguardar o resultado final”, afirmou o vice-presidente do Galo, Lásaro Cândido da Cunha.

LEIA MAIS: Artilharia, Libertadores e mais: os números de TARDELLI no Galo

HAALAND já fi recusado por time alemão por diferença salarial de R$14 mil