Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Jack Grealish: o talento que precisa estar na Euro

Capitão, camisa 10 e identificado com o clube. Conheça o craque do Aston Villa que vem enchendo os olhos de toda a comunidade do futebol. 

Lucas Piccolo
Jornalista pela Universidade Estadual Paulista. Falando um pouco da minha curta bagagem, tive algumas experiências no jornalismo esportivo. O começo de tudo foi logo que entrei na universidade: o Webjornal. Lá, pude ter minha primeira experiência como repórter de esportes. Além disso, tive uma experiência na Rádio Unesp Virtual, outro projeto de extensão da universidade, na qual fiz parte da editoria de esportes. Eu era o editor responsável pelo Overtime, programa que debatia sobre NBA e NFL. Ou seja, era eu quem fazia o roteiro, apresentava e editava. Fora da universidade tive outras duas oportunidades. Primeiro, fiz um estágio como redator da 90min, algo que me possibilitou escrever cerca de 100 textos para mais de 840 mil visualizações. Também escrevi para a NBA da Depressão, página voltada para uma escrita mais leve e com humor, que me dava a liberdade para uma escrita mais livre, focando no público específico da rede social e pensando nas pessoas que vão ler aquilo principalmente pelo celular.

Crédito: Crédito: Divulgação Twitter

Início de carreira

Jack Grealish não é só um simples meia fazendo grande temporada. O camisa 10 do Villa possui inúmeros pontos que o diferenciam e o tornam especial. Além de ser cria da base e torcedor fanático dos Villans, Grealish construiu enorme identificação com a torcida após três temporadas na Championship, a segundona inglesa. Isso porque, em 2015, quando tinha 19 anos, o então camisa 40 foi titular e peça importante na reta final da campanha do vice campeonato da F.A. Cup, ao lado de Delph e Benteke. Na temporada seguinte, nem a pior campanha da história do time de Birmingham na primeira divisão abalou a relação entre clube e jogador.

Embed from Getty Images

Sempre muito fiel, escolheu não deixar o clube de Birmingham – sua terra natal – para recolocá-lo de volta ao seu lugar: a Premier League. Ele não só permaneceu até cumprir o objetivo, como foi o maestro responsável por golaços, jogadas de efeito e assistências ao longo dos últimos quatro anos. Claro que chamou a atenção do Big Six, no entanto, a paixão e a vontade de ser protagonista falaram mais alto, e Grealish ficou “em casa” após o acesso.

Embed from Getty Images

2019/2020

Na temporada atual, o futebol do meia de 24 anos vem atraindo olhos de todas as partes do mundo. São 9 gols e 7 assistências, mais do que qualquer outro jogador inglês. Algumas atuações específicas foram preponderantes para darem mais confiança ao meia, como o empate em 2 a 2 contra o Manchester United, em Old Trafford, e as partidas mais recentes contra Brighton, Burnley e Watford.

Além disso, é disparado o atleta que sofre mais faltas na Premier League e o que cria mais chances. Foram mais de 50 oportunidades criadas pelo capitão, 20 a mais do que o segundo da lista. James Maddison, do Leicester, outro bom nome da nova geração britânica.

Embed from Getty Images

Enfim, não são só os números que impressionam. As aparições nos momentos decisivos mostram que Grealish não se esconde. É aquele jogador que sempre chama o jogo, que vibra com a torcida. Não importa se mal ou bem, estará tentando orquestrar a equipe dentro de campo. Deve ser questão de tempo para o meia ser convocado. Sorte da seleção inglesa e azar de seus adversários.