Ídolo tricolor, Rogério Ceni é recordista de jogos no São Paulo; confira top-10

Com mais de mil jogos com a camisa do clube, ex-goleiro é o atleta que mais vestiu a camisa do São Paulo; Rogério Ceni possui mais que o dobro de partidas de 2º colocado

Jean Lucas
Jornalista, com passagens por Bandsports e FOX Sports. Fascinado por contar (e ouvir) histórias. Vive o futebol 48h por dia.

O tamanho de Rogério Ceni na história do São Paulo é algo imensurável. Um dos maiores ídolos do clube (para muitos o maior), o ex-goleiro também acumula alguns recordes. Um deles é o número de partidas. No total, Ceni vestiu a camisa do Tricolor em 1238 jogos.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Goleiro com mais gols na história do futebol (foram 132 no total), Rogério Ceni defendeu a camisa do São Paulo ao longo de 25 anos e 3 meses. Para se ter uma ideia, a trajetória que o camisa 01 construiu no clube é tão grande que ele tem mais que o dobro de partidas que o segundo jogador que mais atuou pelo Tricolor.

O segundo colocado do ranking de jogos na história do São Paulo é Waldir Peres, com 617 partidas. Peres também foi goleiro e defendeu a meta são-paulina entre 1973 e 1984. O ex-atleta conquistou o Campeonato Brasileiro de 1997 e os Paulistas de 1975, 1980 e 1981 pelo time do Morumbi.

Quem fecha o pódio entre os recordistas de partidas pelo Tricolor é De Sordi. Lateral-direito, De Sordi foi o jogador de linha que mais vestiu a camisa da equipe: 544. Campeão do mundo com a Seleção Brasileira em 1958, o jogador atuou pelo São Paulo entre 1952 e 1965.

Confira o top-10 dos jogadores que mais atuaram pelo São Paulo:

1º – Rogério Ceni, 1238 jogos

2º – Waldir Peres, 617

3º – De Sordi, 544

4º – Roberto Dias, 527

5º – Teixeirinha, 525

6º – Poy, 522

7º – Nelsinho, 512

8º – Terto, 500

9º – Mauro Ramos de Oliveira, 498

10º – Riberto, 481

LEIA MAIS

Jean Pyerre, do Grêmio, se incomoda com novo discurso de Bolsonaro sobre o coronavírus: “Quem vai dar aula pras crianças?”

CBF discute o calendário de 2020; prioridade será concluir os estaduais e a Copa do Brasil