Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Nova investigação culpa piloto por queda de avião que matou Emiliano Sala

Comunicado do Departamento de Investigação de Acidentes Aéreos aponta que avião que levava Sala para a Grã-Bretanha estaria em uma velocidade muito alta, o que teria dificultado a manobra do piloto

Laura Ferre
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação / Twitter oficial FC Nantes

Pouco mais de um ano após o acidente de avião que matou Emiliano Sala, uma nova investigação afirma que a fatalidade foi causada pelo piloto David Ibbotson, cujo corpo nunca foi encontrado. Ele teria perdido o controle da aeronave, que estaria em uma velocidade muito alta.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“O piloto perdeu o controle da aeronave durante uma curva realizada manualmente. A aeronave sofreu subsequentemente um rompimento em voo enquanto manobrava a uma velocidade no ar significativamente superior à sua velocidade de manobra. O piloto provavelmente foi afetado pelo envenenamento por monóxido de carbono”, diz o comunicado do Departamento de Investigação de Acidentes Aéreos da Grã-Bretanha, citado pelo agência de notícias Reuters.

O relatório ainda revela que nem o piloto e nem a aeronave tinham as licenças necessárias. “O Sr. David Ibbotson não possuía as qualificações necessárias para pilotar a aeronave quando o acidente ocorreu. Nem o piloto e nem o avião possuíam as licenças e permissões requeridas para a execução de um voo comercial”, afirma o instituto.

Emiliano Sala estava voando de Nantes para Cardiff no dia 21 de janeiro de 2019 para se apresentar ao seu novo clube, o galês Cardiff City. Na ocasião, a equipe estava na primeira divisão do Campeonato Inglês, a Premier League. Sala foi a contratação mais cara da história do clube, devido a sua ótima temporada pelo Nantes na Ligue 1.

Relembre as homenagens do Nantes para o atacante argentino:

LEIA MAIS

Livro mostra perguntas não respondidas sobre o caso de Emiliano Sala, saiba mais.