Ex-Corinthians, Betão revela que testou positivo para coronavírus e fala sobre retorno do futebol: “Arriscado nesse momento”

Zagueiro do Avaí, Betão afirma que testou positivo para o coronavírus

Matheus Expedito
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. 22 anos. Amante do esporte bem jogado e admirador de boas histórias.

Crédito: Divulgação / Avaí

Nesta terça-feira (19), o zagueiro Betão comunicou que testou positivo para o Covid-19, o novo coronavírus. No entanto, o departamento médico do Avaí informou que o atleta de 36 anos é considerado curado do vírus. Em entrevista ao programa Debate Diário, da rádio CBN, o defensor explicou como se sentiu nas últimas semanas e como provavelmente se deu a infecção.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes


“O meu teste deu positivo que já tive contato com o vírus, mas não está ativo. Ou seja, tive contato, mas não estou mais com ele. Quando fiz os exames, religuei a história. Aquela vez que meu amigo veio, acabei me contaminando e deu positivo. Quando esse amigo ligou confirmando que o resultado dele deu positivo, já pensei o pior. Mas lá em casa nem minha esposa e nem meus filhos tiveram sintomas”, explicou Betão.

Além do ex-Corinthians, outros três atletas do Avaí testaram positivo para o coronavírus. Apenas um deles ainda não se recuperou e continua em quarentena, sem ter a identidade revelada pela equipe de Santa Catarina. Em seu relato, capitão avaiano falou sobre os sintomas e como enfrentou o vírus.

“Foi uma dor de cabeça e deu uma gripe forte. Mas continuei treinando normal, não chegou a me prejudicar. Quando meu amigo confirmou, falei com o Luis Funchal (médico do Avaí). Fiquei 30 dias em casa direto para não propagar o vírus. Fiquei dias dormindo em outro quarto, vivia o dia normal em casa, com aulas das crianças, mas na hora de dormir eu ia para um quarto isolado, mas sem saber que era coronavírus, ainda achava que era gripe”, comentou.

O jogador ainda opinou sobre o retorno do futebol brasileiro durante o maior pico da pandemia em território nacional. “Acho muito arriscada a volta do futebol neste momento. Primeiramente por causa da saúde. Eu fui assintomático. Não sei se outros clubes vão ter condições de testar o elenco como o Avaí fez. Se voltar agora, só com os testes rápidos, ainda tem chance de transmissão. E o problema não é só com nós jogadores, também podemos levar o vírus para a casa”, complementou Betão.

LEIA MAIS: