Falcão mantém reclamações e diz que nenhum clube pode ter dono: “O Inter, já há 20 anos, tem”

Paulo Roberto Falcão conversou com o canal Vozes do Gigante na noite desta sexta-feira

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Divulgação/Sport

Mantendo o tom crítico à administração política do Inter de suas últimas entrevistas, Paulo Roberto Falcão voltou a questionar a forma como o clube vem sendo conduzido nas décadas recentes em entrevista concedida ao canal Vozes do Gigante.

Sem citar nomes, ele lamentou que o clube que brilhou como jogador na década de 70 siga sendo comandado por uma única pessoa.

“Quando eu falo da confraria, que eu tenho dito nas minhas entrevistas, eu falo disso. Uma confraria de 20 anos no Internacional comandada por uma pessoa só. Nenhum clube, nenhum partido político, nenhum estado tem direito de ter dono. O Internacional é muito grande. E nos últimos 20 anos tem um dono”, disparou.

Acompanhe as notícias do seu time do coração pelo Facebook

Ao ser questionado pelo jornalista Leandro Behs se essa pessoa seria o ex-presidente Fernando Carvalho, Falcão despistou:

“Aí a individualidade vai de cada um”, desconversou.

Falcão pode virar executivo de futebol

Ainda treinador de futebol, mas sem clube desde que deixou o Inter após cinco jogos em 2016, Falcão admitiu que já vê com bons olhos a possibilidade de se tornar um “manager”, um executivo de futebol, fazendo elo entre campo e direção.

Destacou que esta situação poderia ser analisada em qualquer clube, não apenas no Internacional, clube pelo qual ele também mostrou uma certa lamentação pelo distanciamento existente com a sua figura:

“Sabe quantas peças minhas havia no Museu do Internacional quando foi inaugurado? Nenhuma. Depois eu virei treinador do time em 2011 e me pediram, mas eu já tinha doado. São essas coisas que respondem. Não é mágoa, lamentação, é apenas o contexto das coisas. Eu por exemplo não quero estátua. Quero estar na memória das pessoas e ser lembrado pela postura de seriedade que tive em todos os lugares, no Inter, na Roma, no São Paulo, na RBSTV, na Globo”, concluiu.

LEIA MAIS:

Matheus Henrique cita brincadeiras com meia do Inter e diz que Kannemann é quem mais cobra: “Ele se transforma”

Presidente do Inter aponta erro do juiz no último Gre-Nal e minimiza jejum no clássico: “Estamos na frente desde 1945”

Siga o autor:

No YouTube

No Instagram