Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Abel fala em ‘trabalho coletivo’ no Palmeiras após goleada e classificação

Verdão bateu Delfín por 5 a 0 e avançou de fase na Libertadores

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Cesar Greco/Site Oficial do Palmeiras

O Palmeiras segue em boa fase na temporada e na Libertadores. O Verdão venceu o Delfín com goleada por 5 a 0 no Allianz Parque, garantiu vaga nas quartas de final e mantém-se firme no forte desempenho desde a chegada de Abel Ferreira ao clube.

O técnico alviverde, no entanto, não quer se ver como o ‘motivo’ do fato do Alviverde ter conseguido começar a mostrar bom futebol nas últimas partidas e sonhar com conquistas na temporada. Para o português, tudo é fruto de ‘trabalho coletivo’ de todo o clube.

“É o trabalho coletivo desde a direção, as pessoas do CT. E os jogadores, que são fundamentais no quebra-cabeça, a minha comissão. É trabalho coletivo de muita gente. Nós ganhamos, nós perdemos, cada um contribui com o seu melhor. Todas as escolhas são feitas para o que é o melhor do time, ninguém está acima do time”, disse Abel na coletiva.

A classificação fará com que o Palmeiras jogue já na próxima semana a primeira partida de quartas de final, e tem o clássico com o Santos neste sábado (5), pelo Brasileirão. Com o elenco ganhando opções e temendo lesões de jogadores, o treinadior

“Temos 24 horas para recuperar (os jogadores). Vamos ver como eles vão se recuperar. Minha função como treinador é encontrar soluções. Se eu gostaria de ter todo mundo disponível? Gostaria, mas não podemos. Jogue quem for jogar, vão dar o melhor de si”, afirmou.

Patrick de Paula e Veron

Dois dos destaques do Verdão no jogo foram o volante Patrick de Paula e o atacante Gabriel Veron, que anotaram três dos cinco gols alviverdes na partida. Abel Ferreira falou do desempenho de ambos e da preocupação com a lesão do meio-campista, sofrida ainda na primeira etapa.

“Infelizmente, não temos ninguém para rodar o Patrick. Ele estava no ‘red line’, acima dos jogos e da intensidade. Infelizmente não conseguimos tirá-lo à tempo. Ao Gabriel, digo sempre a ele para lembrar o que o trouxe a este nível. É impossível o Palmeiras vender ele por menos que o Santos vendeu o Neymar ao Barcelona”, comentou.

LEIA MAIS

Palmeiras 5 x 0 Delfín: assista aos gols do jogo da Libertadores

(Crédito da foto: Cesar Greco/Site Oficial do Palmeiras)