Em reestruturação, Renault anuncia saída de chefe de equipe da F1

Renault se tornará Alpine em 2021 na Fórmula 1

Carlos Lemes Jr
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Diretor da Renault, Cyril Abiteboul (Divulgação/Renault)

Um dos grandes personagens da F1, nesses últimos anos, está fora do “circo”. A Renault anunciou a saída de Cyril Abiteboul do cargo de chefe de equipe na Fórmula 1. A montadora que, a partir dessa temporada, passará a usar o nome Alpine em suas operações na categoria. A marca é a divisão de carros de luxo dos franceses. Faz parte dessa repaginada, também, a mudança de cores: saem o amarelo e preto e entram o azul, branco e vermelho da bandeira da França.

“Eu gostaria de agradecer a Renault pela oportunidade, principalmente, pelo relançamento da equipe de fábrica na F1, desde 2016”, disse Abiteboul em comunicado oficial.

Para o lugar do dirigente, a nova equipe pensa em Marcin Budkowski, outro diretor da Renault ou até Davide Brivio, ex-chefe da Suzuki no time da MotoGP.

“Gostaríamos de agradecer todo empenho de Cyril, a frente do projeto da F1. Desde o penúltimo lugar de 2016 até os pódios da última temporada”, ressaltou Luca di Meo, diretor executivo da Renault.

Cyril Abiteboul, entrou na Fórmula 1 como chefe de equipe da extinta  Caterham como chefe de equipe entre 2012 e 2014. Pela Renault F1 Team, ele conseguiu o quarto lugar em 2018 como melhor resultado no Mundial de Construtores. Foram três pódios desde 2016, todos conquistados na temporada 2020. Dois terceiros lugares nas mãos do australiano Daniel Ricciardo e um segundo de Esteban Ocon.

A partir de 2021, a Alpine terá a volta do bicampeão mundial Fernando Alonso como companheiro de Ocon, enquanto Ricciardo, já foi anunciado como piloto da McLaren.