Ferrari comemora feito modesto que não conseguia desde 2019; entenda

Equipe passou 2020 inteiro sem ver os dois carros pontuarem em duas corridas seguidas

Fernando Cesarotti
Jornalista, professor universitário e fã ardoroso de qualquer esporte. ,

Crédito: Formula1.com

A Ferrari tem mostrado neste início de temporada da Fórmula 1 uma evolução ainda insuficiente para brigar pelas vitórias, mas ao menos garantiu um feito modesto que não foi conquistado em 2020: ver os dois pilotos pontuarem em duas corridas seguidas.

Neste domingo, no GP da Emilia Romagna, Charles Leclerc foi o quarto colocado, e Carlos Sainz o quinto. No Bahrein, o monegasco foi o sexto, e o espanhol, o oitavo. “Corridas em condições diferentes e mesmo assim conseguimos isso, o que mostra que estamos na direção certa”, disse o chefe da equipe, Mattia Binotto.

Em 2019, a equipe começou o ano brigando pelo título, mas perdeu desempenho. A última sequência com dois pilotos entre os dez primeiros foi naquele ano. No Japão, Sebastian Vettel foi o segundo e Leclerc o sexto; no México, Vettel repetiu o segundo lugar e Leclerr foi o quarto.

Em 2020, depois de ter sua saída anunciada, o alemão não pontuou duas vezes seguidas nenhuma vez. “Vamos continuar nesse ritmo, evoluindo, corrida após corrida”, prometeu o dirigente.

Pilotos insatisfeitos

Os pilotos, no entanto, ainda não se mostram tão felizes quanto o chefe. Leclerc chegou a andar em segundo no domingo, logo após a relargada, mas não conseguiu segurar Lando Norris, da McLaren, e depois Lewis Hamilton, da Mercedes.

“Fizemos uma aposta e fomos melhores enquanto a pista estava úmida, mas depois perdemos ritmo”, explicou, para depois endossar o discurso do chefe. “Estamos vindo lá de trás num longo caminho, passo a passo. O futuro parece bom, e estou feliz por isso”, completou o piloto nascido em Mônaco.

Já Carlos Sainz não ficou feliz nem por ter saído do 11º lugar no grid para o quinto na corrida. “Considerando tudo até que foi um bom resultado, mas estou frustrado com meus erros”, disse, depois de sair da pista duas vezes por causa do asfalto molhado.

Depois da corrida “em casa”, já que a pista de Ímola fica a 80 km da fábrica da equipe, em Maranello, o próximo desafio da Ferrari e das equipes da Fórmula 1 é o GP de Portugal. Será no circuito de Portimão, no dia 2 de maio.

LEIA MAIS:

Hamilton testa pneus “gigantes” da Fórmula 1 para 2022

Russell baixa a bola e promete se entender com Bottas sobre acidente