Seleção brasileira de vôlei estreia pela Liga das Nações; veja o guia completo da competição

José Roberto Guimarães levará 18 atletas visando a preparação e definição de sua lista olímpica

Thiago Chaguri
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação/FIVB

A seleção feminina de vôlei inicia nesta terça-feira (21) seu último compromisso antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães estreia na VNL (Liga das Nações de Vôlei) contra o Canadá, às 16h30, horário de Brasília.

Zé Roberto levou força máxima à Itália para poder dar tempo de quadra às atletas. O treinador pretende avaliar o desempenho para definir os nomes convocados para a olimpíada. No momento, Natália será o único desfalque nos primeiros jogos. A ponteira passou por uma cirurgia no dedo, mas estará apta a retornar durante a competição.

Ao contrário do Brasil, que terá a maior média de idade com 30 anos, algumas equipes optaram por não levar suas principais jogadoras. Sérvia e Itália, grandes candidatas ao ouro olímpico, preferiram priorizar os treinamentos para Tóquio e preservaram suas estrelas. As duas seleções mandaram jovens talentos para Rimini. Isso se reflete na média de idade dessas delegações, com 21 e 22 anos respectivamente. A China poupará suas melhores atletas na primeira fase, mas avalia convoca-las caso avance à fase final.

ELENCO

José Roberto Guimarães conta com 18 atletas para a Liga das Nações. São elas:

Levantadoras – Dani Lins, Macris e Roberta Ratzke

Opostas – Sheilla Castro, Lorenne e Tandara

Oposta/Ponteira – Rosamaria

Ponteiras – Natália, Fernanda Garay, Gabi Guimarães e Ana Cristina

Centrais – Carol Gattaz, Adenízia, Carol, Bia e Mayany

Líberos – Camila Brait e Nyeme

A SEDE

A cidade de Rimini, Itália, receberá a terceira edição da Ligas das Nações, campeonato que substitui a anteriormente conhecida Liga Mundial. Sua população é de cerca de 150 mil habitantes. Localizada na região da Emília-Romagna e próxima ao mar Adriático, está a cerca de 340km da capital Roma. Rimini é conhecida por suas praias, consideradas uma das melhores da costa italiana, e pela arquitetura medieval em seus principais pontos turísticos.

FORMATO DA COMPETIÇÃO

As 16 seleções se enfrentarão entre si, totalizando 15 jogos na fase inicial da Liga das Nações. Nesta edição, as quatro melhores avançam direto à semifinal e posteriormente à final. Todas as partidas serão disputadas em jogos únicos. A fase final está marcada para os dias 24 e 25 de junho, a exato um mês da estreia da modalidade nos Jogos Olímpicos.

Anteriormente, o formato permitia a classificação de seis times para a segunda fase, que era distribuída em dois grupos de três seleções. Nos grupos, disputava-se dois jogos e as duas melhores equipes se qualificavam para as semifinais. As vencedoras avançavam para final, ambas também realizadas em partidas diretas.

PROTOCOLOS DE SEGURANÇA

A FIVB (Federação Internacional de Vôlei) impôs protocolos rígidos para a competição devido a pandemia da covid-19. Será adotado o sistema de bolha e a circulação das delegações estará permitida somente pelo trajeto do hotel ao ginásio.

Realizados em duas quadras, serão quatro jogos por dia em cada uma. As equipes atuarão por três dias consecutivos e terão outros três de descanso, repetindo o procedimento até a fase final, nos dias 24 e 25 de junho.

Orientadas pela FIVB, confira as principais medidas de seu protocolo oficial:

– Todas as delegações precisaram apresentar os testes PCR negativos antes da viagem e na chegada à Rimini;

– A cada quatro dias serão realizados novos testes;

– Durante os jogos, somente as jogadoras em quadra e técnicos poderão ficar sem máscara; as reservas e demais membros das comissões técnica deverão utilizá-la;

– Não haverá árbitros de linha;

– Está proibido os apertos de mãos entre as jogadoras e comissões técnica antes e depois das partidas;

– Somente a equipe de transmissão poderá cobrir os jogos em quadra

PREMIAÇÕES

A seleção campeã embolsará 1 milhão de dólares (cerca de 5,3 milhões de reais) em premiação. A vice-campeã receberá 500 mil dólares (R$ 2,6 milhões). Já a terceira colocada irá faturar 300 mil dólares (1,6 milhão) e o quarto lugar se despedirá da competição com 150 mil dólares (800 mil reais).

Além da premiação para as quatro melhores, todas as seleções serão contempladas por desempenho. Durante as 15 partidas realizadas na primeira fase, cada vitória representará um valor aproximado de 47 mil reais. A cada derrota, levará em torno de 21 mil reais. Assim, se alguma seleção terminar invicta durante os 15 jogos, poderá receber cerca de 700 mil reais. Caso saia derrotada em todas as partidas, sairá com um valor aproximado de 315 mil reais.

Haverá premiação também para os melhores jogadores da competição. Destaque para o MVP (Jogador Mais Valioso), que embolsará 30 mil dólares. Segue a lista:

MVP: US$ 30 mil (cerca de R$ 160 mil)
Melhor levantadora: US$ 10 mil (R$ 53 mil)
Melhor ponteira: US$ 10 mil
Segunda Melhor ponteira: US$ 10 mil
Melhor oposto: US$ 10 mil
Melhor central: US$ 10 mil
Segunda melhor central: US$ 10 mil
Melhor líbero: US$ 10 mil

TABELA DA SELEÇÃO BRASILEIRA

Além da seleção brasileira, todos os jogos da Liga das Nações terão transmissões do SporTV 2. Veja o calendário do Brasil (pelo horário de Brasília):

25/05 – Brasil x Canadá – 16h
26/05 – Brasil x República Dominicana – 13h
27/05 – Brasil x Estados Unidos – 16h

31/05 – Brasil x Japão – 10h
01/06 – Brasil x Rússia – 16h
02/06 – Brasil x Itália – 16h

06/06 – Brasil x Sérvia – 10h
07/06 – Brasil x Bélgica – 16h
08/06 – Brasil x China – 11h

12/06 – Brasil x Polônia – 16h
13/06 – Brasil x Alemanha – 16h
14/06 – Brasil x Tailândia – 14h30

18/06 – Brasil x Coreia do Sul – 10h
19/06 – Brasil x Holanda – 14h30
20/06 – Brasil x Turquia – 16h