Uefa anuncia mudança na final da Champions League entre Manchester City e Chelsea

Final da Champions League voltará a acontecer em Portugal, palco da última decisão do principal campeonato de clubes do mundo

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.

Crédito: Arte Torcedores/Rafael Brayan

A final da Champions League teve uma mudança nesta quinta-feira (13). Em nota oficial, a Uefa anunciou que a sede da decisão será o estádio do Dragão, do Porto, em Portugal. O jogo, porém, segue marcado para acontecer no dia 29 de maio de 2021, às 17h (no horário de Brasília).

Neymar é o 2º melhor do mundo em estudo e Mbappé fica fora de top-10; veja ranking

De acordo com o comunicado, as autoridades portuguesas se ofereceram para receber o jogo. Anteriormente, a final estava marcada para o Estádio Ataturk, em Istambul. Porém, o Reino Unido colocou a Turquia em uma “lista vermelha” da pandemia e isso impediria que torcedores de Manchester City e Chelsea fosse à decisão.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

“Penso que todos podemos concordar que esperamos nunca mais viver um ano como este último que passou. Os adeptos tiveram de sofrer mais de 12 meses sem terem a possibilidade de ver futebol europeu ao vivo. A presença na final da Champions League é o ponto alto para os finalistas. Privar os adeptos dessas equipas de verem o jogo ao vivo não era uma opção e estou satisfeito por termos chegado a um entendimento”, justificou Aleksander Ceferin, presidente da Uefa.

Confira tudo sobre a final da Champions

Local: Estádio do Dragão, no Porto, em Portugal
Data: 29 de maio de 2021, no sábado
Horário: a definir
Transmissão: TNT, Facebook Watch e Estádio TNT Sports
Arbitragem: Daniele Orsato
Premiação: 19 milhões de euros (cerca de R$ 120 milhões) para o vencedor e 15 milhões de euros (R$ 95 milhões) para o vice-colocado

Final entre novos clubes grandes?

Para muitos torcedores, a final da Champions League desta temporada marcam o sucesso de dois projetos financeiros que tiveram destaque neste século. Manchester City e Chelsea foram comprados por grandes bilionários, que investiram em grandes elencos na última década e chamaram a atenção do futebol mundial.

Inclusive, os dois clubes estavam entre os fundadores da Superliga Europeia que foi tão criticado pelos fãs do futebol pelo mundo. A torcida do Chelsea, porém, foi uma das mais ativas nos protestos contra a nova competição – que acabou sendo descartada dias depois do anúncio oficial.

Quem chega e quem sai dos clubes?