Ex-campeã da WNBA, pivô Érika de Souza é reforço do Ituano Basquete

Campeã dos jogos Pan-Americanos de 2019, a experiente pivô de 39 anos não só traz experiência da seleção brasileira, mas do alto nível do basquete mundial.

Rafael Costa
Estudante de Rádio, TV e Internet, apaixonado por esportes desde pequeno e com vontade de levar o basquete. Atualmente, aprendendo a ser narrador e jornalista.

Crédito: Reprodução / Juca Ferreira / Ituano Basquete

Anunciada no dia de hoje (12), nas redes sociais do clube, a experiente pivô retorna ao Brasil para ajudar o Ituano Basquete na disputa da LBF (Liga de Basquete Feminino). Além da medalha de ouro contra os Estados Unidos, venceu a WNBA pelo Los Angeles Sparks no ano de 2002. Atuando ao lado da lendária Lisa Leslie, esteve em quadra 11 vezes na ocasião. Ainda assim, foi três vezes All-Star da competição, oito vezes campeã espanhola e campeã da Euroliga.

VOLTA AO BRASIL

De antemão, esse currículo impressiona, mas não para por ai. Pela seleção brasileira, venceu a Copa América três vezes e participou de quatro Olimpíadas. Já pela LBF, Érika de Souza foi campeã no ano de 2013, quando atuava no Sport Recife. Embora a idade mais avançada traga uma certa limitação física, a ex-WNBA foi um dos destaques do seu último clube, o Royal Castors Braine, da Bélgica. A escolha pelo Ituano certamente possui influências do treinador da equipe, Bruno Guidorizzi.

Atual líder da LBF, o galo de Itu possuí apenas uma derrota na competição e o melhor ataque. Como resultado, quatro jogadoras foram convocadas para a Copa América de Basquete pelo treinador José Neto. Elas são: Alana Gonçalo (armadora), Patty Teixeira (ala-armadora), Mariana Dias (ala-pivô) e a recém chegada pivô, Érika de Souza.

DESEMPENHO

Pela WNBA, foram 329 jogos, com uma média de 9.3 pontos e 6.7 rebotes por jogo. Por outro lado, quando se fala de LBF, seus números crescem relativamente. Foram 77 jogos, com uma média de 13.8 pontos e 10.4 rebotes por partida. Sua reestreia na competição deve acontecer no próximo domingo (16), ás 14h00 fora de casa. O adversário é o Vera Cruz, atual 2º colocado da competição.

LUTA DENTRO E FORA DE QUADRA

Além de suas grandes atuações em quadra, suas batalhas se estendem para fora dela. Érika é uma das precursoras do movimento #LevanteABolaDelas, que visa a igualdade de gênero e o respeito pela mulher no basquete. Bem como participa ativamente de campanhas e protestos em suas redes sociais, sendo a principal voz do movimento Black Lives Matter por toda a modalidade.