Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Em meio a crise interna na CBF, Tite pode deixar o comando da seleção brasileira

Crise interna entre o presidente Rogério Caboclo e os jogadores da Seleção também pode contar com um pedido de demissão do treinador, segundo o jornalista Andrei Kampff

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.Twitter: @rafaelbrayan_

Crédito: Lucas Figueiredo/CBF

A decisão pela realização da Copa América no Brasil intensificou os problemas da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) em 2021. O presidente Rogério Caboclo é alvo de críticas do público, mas também atrai insatisfação interna. No meio dessa crise, o técnico Tite pode deixar o comando da seleção brasileira.


Veja também:

+ Bolsonaro cobra coerência da Globo e ataca narrador: “Só faltou abaixar as calças”

+ Seleção, Espanha x Portugal e mais: veja os principais jogos desta sexta (4) e onde assistir


O treinador revelou em entrevista coletiva nesta quinta-feira (3) que houve uma reunião entre a comissão técnica, a gestão da CBF e jogadores por conta da realização da Copa América no Brasil. As reclamações tiveram ainda mais força quando jogadores que vieram da Europa lideraram a tentativa de conversar com Caboclo.

Após entrevista coletiva, onde Tite revela a reunião na CBF, houve um clima tenso na confederação, de acordo com o jornalista Andrei Kampff. Inclusive, o técnico não descarta a possibilidade de pedir para deixar a equipe nacional. Os rumos levados pela confederação incomoda a comissão técnica e preocupa para o futuro.

“Temos uma opinião muito clara e fomos lealmente, numa sequência cronológica, eu e Juninho, externando ao presidente qual a nossa opinião. Depois, pedimos aos atletas para focarem apenas no jogo contra o Equador. Na sequência, solicitaram uma conversa direta ao presidente. Foi uma conversa muito clara, direta. A partir daí, a posição dos atletas também ficou clara. Temos uma posição, mas não vamos externar isso agora. Temos uma prioridade agora de jogar bem e ganhar o jogo contra o Equador. Entendemos que depois dessa Data Fifa, as situações vão ficar claras”, contou Tite.

Os atletas não estão insatisfeitos apenas pela realização da Copa América durante números altos de morte por Covid-19 no país. Mas sim, pela falta de conversas e explicações da CBF nas últimas decisões. Enquanto isso, a comissão técnica também se sente insatisfeita e por isso Rogério Caboclo teve de ir às pressas para a Granja Comary na última quarta.

De acordo com o jornalista Gustavo Hofman, dos canais ESPN e Fox Sports, há um alinhamento entre comissão técnica e jogadores para não disputar a Copa América. Entretanto, Tite tenta proteger os seus atletas, disse que se posicionará após amistosos de preparação e dá tempo para a CBF conseguir minimizar crise interna.