Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Olimpíadas: Conheça a história, o formato de disputa e os medalhistas do beisebol

Ausente nas duas últimas olimpíadas, beisebol integra o calendário olímpico de Tóquio, mas estará fora de Paris-2024

Thiago Chaguri
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação/WBSC

Retornando aos Jogos Olímpicos, o beisebol terá sua partida inaugural na passagem da madrugada desta terça-feira (27) para quarta-feira (28), à 0h00 pelo horário de Brasília. Fora desde Pequim-2008, a modalidade vem para sua sexta edição em Tóquio. No entanto, os amantes do esporte terão de aproveitar esta oportunidade, pois o retorno será breve. Assim como o softbol e o caratê, o beisebol não fará parte da programação para Paris-2024.

Siga o Torcedores no Facebook e Twitter para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Coréia do Sul, Estados Unidos, Israel, Japão, México e República Dominicana disputarão as medalhas da competição, cujo encerramento ocorrerá no dia 07 de agosto, penúltimo dia olímpico.

Como o beisebol é praticado?

Entram em campo nove jogadores de ataque e nove jogadores de defesa do time adversário. O objetivo principal é avançar as quatro bases para pontuar.

Basicamente, cada jogo é disputado em nove innings (entradas). O time que iniciou a partida atacando passará a defender na próxima entrada. Não haverá duas entradas consecutivas de ataque ou de defesa, as equipes se alternam entre os innings. A troca é feita após eliminação de três rebatedores.

Os rebatedores têm a função de acertar a bola o mais longe possível dos jogadores da defesa adversária para assim iniciar suas corridas rumo a conquista das bases e conseguir a pontuação.

O home-run é a situação em que o rebatedor consegue atingir a bola para fora do campo conforme as demarcações do campo, sem chances para a defesa. Ou também quando dificulta o trabalho adversário e o jogador de ataque consegue avançar até a base principal antes da bola chegar ao defensor baseado no home plate. Neste caso, é chamado inside-the-park home run.

Para a defesa eliminar o jogador de ataque, precisa capturar a rebatida sem deixar a bola cair no chão. Outra forma de eliminação é capturar a bola do chão e arremessar rapidamente para seu companheiro de equipe antes que o jogador de ataque toque a base.

Há também a eliminação feita pelo arremessador. Ao arremessar dentro da zona de strike e o rebatedor não atingir a bola, conta-se um strike. Se porventura o rebatedor não atingir a bola em três oportunidades, estará eliminado.

Caso o jogo entrar na sétima entrada e a diferença apontar 10 pontos no placar, a partida será encerrada.

Havendo o empate, joga-se uma entrada extra para definir o vencedor.

Criado na Inglaterra, desenvolvido nos Estados Unidos

Há divergências quanto ao surgimento do beisebol.  Acredita-se que o esporte seja derivado de duas modalidades muito populares na Inglaterra no século XVIII, o “rounders” e o “críquete”, nos quais ambos usavam tacos para acertar uma pequena bola. Tais práticas foram levadas para colônias dominadas por ingleses. Dentre elas, os Estados Unidos, onde o rounders passou a ser chamado de “Roundball” e depois “Townball”, contendo pequenas alterações.

As primeiras equipes e entidades

Acreditava-se por anos que Abner Doubleday teria sido o inventor do esporte. Porém, essa versão, muito propagada antigamente, foi desmentida. A primeira equipe de beisebol consta de setembro de 1845, quando um grupo de homens fundou o New York Knickerbocker.

Dentre eles, estava Alexander Joy Cartwright, que também foi o responsável por criar e escrever as primeiras regras do que viria a ser o beisebol. O primeiro jogo da nova modalidade foi entre o pioneiro New York Knickerbocker contra o New York Nine, onde o segundo venceu por 23×1.

Sob novas regras, em 1857, dezesseis equipes da própria cidade fundaram a National Association of Base Ball Players (Associação Nacional dos Jogadores de Beisebol).

O esporte promovendo a paz após tempos de guerra

Durante a Guerra Civil americana (1861-1865) os soldados costumavam se encontrar para jogar o beisebol e a prática foi se expandindo aos poucos. Após o fim da Guerra Civil, o esporte estava sendo visto como unidade pacificadora para o país que acabara de sofrer, até então, a batalha mais sangrenta de sua história. A popularidade foi aumentando ao ponto de outras cidades do país também criarem seus times. Associações foram surgindo para poder organizar as competições. Em 1869, surgiu a primeira equipe reconhecidamente profissional do beisebol, o Cincinnati Red Stockings.

Em 1876 e 1901, respectivamente, foram criadas as conferências que, ao longo do tempo, foram renomeadas e atualmente são conhecidas como “National League” (Liga Nacional) e “American League” (Liga Americana).

No ano de 1903, ambas chegaram a um acordo em que os times campeões de cada uma dessas ligas disputariam a final, conhecida como “World Series” (Série Mundial), para definir o campeão definitivo da temporada.

Assim surgiu a MLB (Major League Baseball), a liga de beisebol mais famosa do mundo.

Sucesso expandido para a América Central e Ásia

Por muito tempo o beisebol foi o esporte mais popular dos Estados Unidos e sua prática foi se disseminando internacionalmente. Países da América Central são um grande celeiro de talentos, tendo muitos jogadores atuando pela MLB. Cuba, por exemplo, já foi uma potência olímpica, tendo conquistado três medalhas de ouro e duas de prata. Ou seja, em cinco edições olímpicas, nunca deixou de disputar uma final. Por sua ausência, esta marca será quebrada em Tóquio.

No oriente, o Japão aparece como um grande destaque. O esporte é o mais popular do país. Seu investimento em estrutura tanto na formação de atletas desde as categorias de base quanto na organização profissional proporciona um trabalho que reflete não só na revelação de jogadores para a liga principal japonesa e na MLB, como também em conquistas de medalhas nos Jogos Olímpicos, com uma prata e dois bronzes.

Olimpíadas

O beisebol teve sua estreia em Olimpíadas em 1912 como um evento teste, mas somente em Barcelona-1992 foi realmente efetivado, permanecendo até Pequim-2008. Em Londres e no Rio de Janeiro, 2012 e 2016 respectivamente, o esporte ficou de fora.  Preocupados com o futuro da modalidade, as federações internacionais de beisebol e softbol fundiram-se no intuito de reestruturar a organização como um todo, fomentar o esporte e apresentar propostas com garantias para retornar aos Jogos Olímpicos.

Nascia em 2011 a WBSC (World Baseball Softball Confederation – Confederação Mundial de Beisebol e Softbol). Todo projeto foi recompensado. Ao término da Rio-2016, o COI (Comitê Olímpico Internacional) anunciou oficialmente o beisebol e o softbol como esportes olímpicos para Tóquio-2020.

Sistema de disputa

Assim como o softbol, o beisebol será disputado fora de Tóquio, nos estádios de Yokohama Baseball Stadium e Fukushika Azuma Baseball Stadium. A programação dos jogos está marcada entre os dias 28 de julho a 07 de agosto.

Grupo A: Japão, México e República Dominicana

Grupo B: Coréia do Sul, Estados Unidos e Israel

Três seleções foram divididas em dois grupos (A e B), onde jogam entre si na chave somente uma vez. Ao final desta fase regular, serão definidas as posições das equipes para um novo chaveamento da seguinte forma:

As euipes que ficarem em 1º em seus grupos “folgam” nessa primeira rodada eliminatória e se enfrentam no jogo #4, válido pela segunda rodada. Veja como funcionará o caminho para o ouro:

Contabilizando os seis jogos da fase inicial, as eliminatórias começam no jogo #7, de acordo com a imagem acima.

Jogo #7

3º A x 3º B

Jogo #8

2º A x 2º B

Os vencedores destes dois confrontos avançam para o jogo #9.

Jogo #9

Vencedor do #7 x Vencedor do #8

Jogo #10

1º do A x 1º B

Jogo #11

Perdedor do #8 x Perdedor #9

Quem vencer este duelo vai para o jogo #12 e encara a equipe derrotada do jogo #10

Jogo #12

Vencedor #11 x Perdedor #10

Para o jogo #13, irão à campo os vencedores dos jogos #9 e #10

Jogo #13

Vencedor #9 x Vencedor #10

Na partida #14, teremos:

Jogo #14

Vencedor #12 x Perdedor #13

O jogo #15 será o da medalha de bronze

Jogo #15

Perdedor #12 x Perdedor #14

O encerramento será com a disputa pelo ouro no jogo #16

Jogo #16

Vencedor #13 x Vencedor #14

 

Países medalhistas

Barcelona-1992

Ouro: Cuba

Prata: Taipé Chinesa

Bronze: Japão

 

Atlanta-1996

Ouro: Cuba

Prata: Japão

Bronze: Estados Unidos

 

Sidney-2000

Ouro: Estados Unidos

Prata: Cuba

Bronze: Coréia do Sul

 

Atenas-2004

Ouro: Cuba

Prata: Austrália

Bronze: Japão

 

Pequim-2008

Ouro: Coréia do Sul

Prata: Cuba

Bronze: Estados Unidos

 

Quadro de medalhas

1º – Cuba: 3 ouros e 2 pratas

2º – Estados Unidos: 1 ouro e 2 bronzes

3º – Coréia do Sul: 1 ouro e 1 bronze

4º – Japão: 1 prata e 2 bronzes

5º – Austrália – 1 prata

6º – Taipé Chinesa – 1 prata

 

LEIA MAIS:

Olimpíadas de Tóquio 2020: Confira o quadro de medalhas completo

Olimpíadas de Tóquio: Quais esportes vão ser disputados pela primeira vez?

Olimpíadas de Tóquio: conheça o basquete 3×3, um dos esportes estreantes

Olimpíadas: Conheça a história, o calendário e os países medalhistas do Softbol

Olimpíadas: Conheça a história do Badminton e os países Top-5 em medalhas