Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Paralimpíadas: Ricardo não repete irmã Silvânia e fica em sexto no salto em distância T11

Brasileiro perdeu a oportunidade de conquistar o bicampeonato paralímpico

Fernando Cesarotti
Jornalista, professor universitário e fã ardoroso de qualquer esporte. Autor do OlimpCast, podcast sobre esportes olímpicos.

Crédito: Ricardo Costa de Oliveira começou bem a prova, mas dores o prejudicaram - Foto: Wander Roberto/CPB.

O brasileiro Ricardo Costa de Oliveira não conseguiu repetir o mesmo sucesso de sua irmã, Silvânia, campeã paralímpica do salto em distância na classe T11. Ele competiu na mesma prova entre os homens, na manhã desta sexta-feira, mas ficou somente com a sexta posição.

Veja como está o quadro de medalhas dos Jogos de Tóquio-2020

Ricardo fez seu melhor salto logo na primeira tentativa: 5,89m. Ocupava, naquele momento, a terceira posição. Depois, no entanto, sentiu dores na coxa esquerda e não conseguiu melhorar o desempenho, sendo ultrapassado por outros rivais.

O chinês Dongdong Di levou a medalha de ouro, com 6,47m, sua melhor marca do ano. O norte americano Lex Gillette ficou com a prata, com 6,17m. O bronze foi para o francês Ronan Pallier, com 6,15m.

Aos 39 anos, Ricardo defendia o ouro conquistado no Rio-2016. Ele também tem no currículo um bronze no Mundial de 2017, em Londres, além de outras conquistas.

LEIA MAIS:

Paralímpiadas: Wallace Santos ganha quinto ouro do Brasil no dia, no arremesso de peso F55

É OURO para Wendell Belarmino na natação! Brasileiro é campeão paralímpico nos 50m livre S11