Home Mercado da Bola Mercado da bola: Brendan Rodgers não será demitido do Leicester

Mercado da bola: Brendan Rodgers não será demitido do Leicester

Brendan Rodgers está enfrentando seu momento de maior dificuldade no comando técnico do Leicester, mas uma mudança de comando está descartada neste momento

Fabrício Carvalho
Jornalista formado / Rio de Janeiro. Redator de notícias, artigos e relatos sobre futebol nacional e internacional

Informações divulgadas pelo jornal The Telegraph nesta segunda-feira (21) indicam que o técnico Brendan Rodgers não será demitido do Leicester.

PUBLICIDADE

Desde que foi campeão da Premier League, a equipe vive seu pior momento com apenas o meio da tabela na atual temporada do Campeonato Inglês, além de ter sido eliminado da FA Cup nas primeiras fases diante do Nottingham Forest.

Embora a diretoria do Leicester esteja decepcionada com a campanha, uma mudança no comando técnico não está sendo discutida e Brendan Rodgers poderá completar três anos no cargo.

PUBLICIDADE

Desde sua nomeação em fevereiro de 2019, Rodgers levou o Leicester a dois quintos colocados consecutivos na liga com vagas na Europa League, além do triunfo na FA Cup da temporada passada sobre o Chelsea, devolvendo o clube ao futebol europeu.

O Leicester também deve se classificar para as oitavas de final da Europa Conference League e está nove pontos acima da zona de rebaixamento. Por isso, o rebaixamento não está sendo discutido neste momento.

Brendan Rodgers está em diálogo regular com o presidente Aiyawatt ‘Top’ Srivaddhanaprabha, com a dupla conversando antes e depois da primeira partida da Liga da Conferência contra o Randers na semana passada.

A temporada do Leicester foi prejudicada por lesões, com Jamie Vardy, Jonny Evans, Wesley Fofana e James Justin atualmente fora, e o clube reconhece que isso tem sido um fator importante para resultados e performances abaixo do esperado.

PUBLICIDADE

Rodgers e o clube também estão determinados a melhorar o nível das contratações na próxima janela de transferências, depois que várias contratações feitas no ano passado não tiveram o impacto desejado.