Torcedores – Notícias Esportivas

Fórmula 1: Mercedes e Ferrari estão com problemas nas retas? Entenda

Equipes rivais comentaram sobre as primeiras dificuldades encontradas durante os testes iniciais da pré-temporada de 2022 da F1

Álvaro Logullo Neto
24 anos, formado em Jornalismo pela Universidade de São Paulo e, desde 2021, redator de esportes no Torcedores.com. Por aqui, um pouco de tudo: tênis, basquete, NFL, Fórmula 1, esportes olímpicos e Fiorentina... digo, futebol!

Crédito: XPB Images

Quase tudo mudou para o mundial de 2022 da Fórmula 1, e isso muita gente já sabe. Diante de um novo panorama da categoria, contudo, as equipes ainda buscam entender exatamente quais são as alterações mais relevantes.

Nessa esteira, Mercedes e Ferrari se pronunciaram sobre uma dificuldade, em comum, que surgiu nos primeiros testes da temporada. Vale lembrar que, desde ontem (23), as escuderias estão levando seus carros à pista da Catalunha para tirarem suas primeiras impressões a respeito do desempenho dos carros.

Mas, ao menos por enquanto, as retas parecem ser uma dor de cabeça concreta das duas escuderias. Mattia Binotto, chefe de equipe da Ferrari, e Andrew Shovlin, engenheiro da Mercedes F1 falaram sobre este mesmo assunto, durante coletivas de imprensa na Catalunha.

“Acho que todas as equipes subestimaram o deslocamento do ar nas retas. Resolver o problema não é tão difícil. No entanto, não perder desempenho e manter a aerodinâmica eficiente é a parte complicada”, revelou Binotto.

Já Shovlin trouxe uma perspectiva distinta, mas que alerta, também, para um receio: “Dificilmente ocorre no vácuo. É bem ruim quando o carro está balançando e completamente ao vento. Torna-se, portanto, difícil ultrapassar. Seria uma pena se o objetivo de facilitar as ultrapassagens não fosse alcançado”, disparou o engenheiro da Mercedes.

Testes seguem na Fórmula 1

Enfim, as escuderias ainda tem tempo para encontrar soluções. A temporada da F1 começa em 20 de março, no GP do Bahrein, onde os pilotos terão mais três dias de testes cerca de uma semana antes (entre 10 e 12 de março).

A Fórmula 1 promete uma temporada mais nivelada entre as equipes e com muitas ultrapassagens. No entanto, na pré-temporada ainda é difícil notar se tais objetivos serão alcançados. Por enquanto, os construtores estão focados na coleta de dados sem, necessariamente, entregar o melhor desempenho possível nos circuitos.

Embora pouco já tenha sido notado, a Ferrari parece estar forte, a ponto de, quem sabe, rivalizar com a Mercedes. O próprio Lewis Hamilton, aliás, tocou neste assunto. O britânico observou o novo carro da escuderia italiana e especulou sobre os avanços: “Talvez a Ferrari tenha colocado tudo no carro deste ano”, cravou o heptacampeão”.

Será mesmo?