Torcedores – Notícias Esportivas

Fórmula 1: Chefe da Mercedes faz revelações sobre novo motor

Atual octacampeã entre construtores na F1, a Mercedes terá um grande desafio nesta temporada em busca do nono título seguido

Álvaro Logullo Neto
24 anos, formado em Jornalismo pela Universidade de São Paulo e, desde 2021, redator de esportes no Torcedores.com. Por aqui, um pouco de tudo: tênis, basquete, NFL, Fórmula 1, esportes olímpicos e Fiorentina... digo, futebol!

Crédito: Reprodução / Twitter: @MercedesAMGF1

Tudo mudou na Fórmula 1 de 2022. O novo regulamento técnico, aliado às alterações significativas nos carros criou uma categoria praticamente nova para a temporada deste ano. Sendo assim, ainda é incerto para os fãs quais serão os grandes postulantes ao título mundial. Isso só começará a ser elucidado, de fato, após a primeira largada.

Mas, apesar das dúvidas, é esperado que a Mercedes, atual octacampeã entre os contrutores, encontre soluções para o seu novo carro. Diante do maior desafio já enfrentado pela equipe ao longo desta ‘dinastia’, o chefe de motores da escuderia alemã, Hywel Thomas, concedeu uma entrevista interessante ao Motorsport-Total.com.

Nela, o engenheiro fez revelações sobre as dificuldades e o andamento da Mercedes em busca do “motor ideal” para o seu novo carro, o W13: “Para 2022, tivemos um projeto extenso e aprofundado. Ou seja, mudamos mais partes da unidade de energia este ano do que em qualquer temporada desde 2014″, afirma Thomas.

E ele ainda completa: “Começamos mais cedo e experimentamos nossas tecnologias em mais pontos durante o desenvolvimento. Não se tratava de distribuir a mesma quantidade de esforço por um longo período de tempo, mas de ter um nível muito alto de atividade por um longo período de tempo”.

Mercedes virá forte em 2022?

Hywel Thomas se diz confiante diante do novo projeto da Mercedes: “A equipe de chassi trabalhou com rapidez nos novos regulamentos para explorar suas possibilidades. Contudo, talvez a gente precise mudar um pouco o layout da unidade de potência para dar mais flexibilidade nas áreas que são mais importantes para um bom tempo de volta”.

Embora empolgado, o chefe de motores assume que ainda é difícil prever quaisquer resultados. “Nunca sabemos quanta potência encontraremos em termos de desempenho do chassi. Existem algumas ferramentas de simulação muito boas, Mas não temos certeza absoluta de nada até entrarmos na pista”, revela Thomas.

Enfim, a oportunidade de testar o novo carro chegará em breve. A primeira parte da pré-temporada da Fórmula 1 já começa amanhã (23) e vai até o dia 25 de fevereiro. As equipes terão três dias para testar seus carros no circuito da Catalunha. Depois, ainda haverão outros três dias de testes no Bahrein, entre 10 e 12 de março.

A temporada começa oficialmente cerca de uma semana depois, em 20/03. E aí, estão preparados?