Torcedores – Notícias Esportivas

Atlético-MG vende Savarino por quantia menor; veja o valor final

Atacante do Atlético retornará ao futebol dos Estados Unidos

Eder Bahúte
Jornalista e assessor de imprensa.

Crédito: Divulgacao/Atlético

O Atlético deve oficializar nas próximas horas a venda de Savarino. Segundo informações do jornal ‘O Tempo’, o clube mineiro aceitou as condições do Real Salt Lake, dos Estados Unidos, e bateu o martelo. A quantia final, porém, é um pouco menor daquela divulgada anteriormente.

Para acertar a saída de Savarino, o Atlético queria US$ 3 milhões (cerca de R$ 14,7 milhões) por 40% dos direitos de Savarino. Para isso, o pagamento seria feito de forma parcelada. Com a necessidade de quitar pendências urgentes, o Galo aceitou US$ 2,5 milhões (cerca de R$ 12,2 milhões), sendo à vista.

Na ponta do lápis, o Atlético teve lucro com a transferência do venezuelano. Em 2020, o Galo pagou cerca de US$ 2 milhões (aproximadamente R$ 8,6 milhões) por 60% dos direitos econômicos do atleta. Agora, manterá ainda 20% de uma transação futura.

Ex-clube de Savarino, o Real Salt Lake já tinha o desejo de repatriar o atacante. A proposta havia sido feita há algumas semanas atrás. Até então, o negócio era avaliado pela diretoria. Dono de uma das maiores dívidas do futebol brasileiro, o Atlético necessita de recursos, principalmente com a venda de atletas.

Apesar de ser contrário a saída de Savarino, o Atlético entende ter opções que possam preencher esta lacuna. Além de Ademir e Zaracho, que também pode atuar por ali, o clube ganhará o reforço de Cristian Pavon no meio da temporada. Ele desembarca em Belo Horizonte em julho, o que aumentaria a concorrência e o número de estrangeiros.

Diretor do Atlético comenta possível saída

Nesta quinta, Rodrigo Caetano, diretor executivo admitiu que o negócio traria uma tranquilidade maior do ponto de vista financeiro.

“Se concretizar é óbvio que se aproxima muito traz uma certa tranquilidade para uma das metas do Departamento de Futebol. É claro que o ‘objetivo fim’ de um clube de futebol não é gerar superávit e sim as conquistas. Só que existe uma necessidade. Não é segredo para ninguém que o Galo atravessa muita dificuldade e eu venho repetindo isso desde o ano passado”, disse Caetano à Itatiaia.

“Nós gostaríamos que não fosse essa a realidade (precisar vender Savarino). Se tivéssemos condições de manter o atual elenco com naturalidade e até mesmo agregar valor”, completou.