Torcedores – Notícias Esportivas

Ex-jogador do Botafogo é preso sob acusação de tráfico de drogas

Atleta passou pelo Glorioso por poucos meses e acumulou polêmicas

Cido Vieira
Jornalista graduado. Redator do Torcedores.com desde 2017. Repórter na rádio Provisão FM Caruaru.

Crédito: Vítor Silva - Divulgação - Botafogo

O meia-atacante Gabriel Cortez, ex-Botafogo, foi preso na última sexta-feira (22) sob a acusação de ter relações com uma quadrilha que atua no tráfico de drogas intitulada de Los Triguerones.

O jogador equatoriano passou pelo Glorioso na temporada 2020 e vinha defendendo atualmente as cores do Barcelona de Guayaquil, adversário do América-MG na fase de pré-Libertadores. Em vídeo divulgado nas redes sociais, o atleta aparece cercado de agentes da Polícia Nacional chegando de helicóptero para uma audiência, que fixou a prisão preventiva de 30 dias. Além dele, outras 17 pessoas estão sendo investigadas.

“É uma injustiça terrível. Na formulação das acusações, o Ministério Público deixa claro que ele só recebeu duas ligações [de um possível membro da quadrilha] e não dá ordem alguma. Não se pode nem sequer presumir que ele cometeu delitos. Gabriel Cortez é vítima, mas, apesar disso, o Ministério Público apresenta acusações contra ele devido à pressão sentida pelo juiz”, defende Antonio Duran, advogado do jogador.

Segundo o ministro do interior do Equador, Patricio Carillo, há provas de que o ex-jogador do Botafogo não só participa da quadrilha, como também “recebia informações e ordenava” atos violentos contra pessoas. Em nota, o Barcelona disse que acompanhará as investigações e tomará as medidas cabíveis após o desfecho do caso.

Apelidado de “El Loco”, Gabriel é o artilheiro do Campeonato Equatoriano, com sete tentos marcados em oito partidas. O jogador de 26 anos defendeu o Botafogo entre janeiro e julho de 2020. Neste curto período, ele teve problemas físicos e acumulou polêmicas, como por exemplo ter feito uma live bebendo com amigos e elogiando o Flamengo, maior rival do Glorioso. Diante deste cenário, o equatoriano teve vínculo rescindido, tendo atuado apenas em quatro jogos.