Torcedores – Notícias Esportivas

Alonso cita desgaste na Ferrari e mira terceiro título de Fórmula 1

Alonso representou a Ferrari por cinco temporadas na expectativa de conquistar mais títulos de Fórmula 1, porém foi vice-campeão três vezes

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 29 anos.Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017). Repórter no site Torcedores.com desde 2018.

Crédito: Divulgação/Alpine

Bicampeão da Fórmula 1 (anos 2005 e 2006), Fernando Alonso já dirigiu por uma das escuderias mais tradicionais da categoria.

O espanhol representou a Ferrari por cinco temporadas. Entretanto, saiu da equipe de italiana em 2014.

O contrato ainda estava em vigor. Em entrevista concedida à BBC, o piloto disse que a relação profissional já era desgastada.

“A atmosfera na equipe não era feliz o suficiente em um momento e decidi interromper o relacionamento, mesmo com mais dois anos de contrato. Era o melhor para ambas as partes”, relatou.

Alonso representou a Ferrari entre 2010 e 2014. A expectativa era de títulos, mas foi vice-campeão três vezes (2010, 2012 e 2013).

“Aqueles anos na Ferrari foram de muita pressão. Estivemos muito próximos algumas vezes e essas oportunidades perdidas pesaram bastante nos ombros de todos”, recordou.

Alonso encara cenário diferente, porém mira título da Fórmula 1

Nesta temporada, o profissional de automobilismo está bem longe do título. Tem dois pontos após a realização de cinco corridas e é apenas o 16° colocado.

A diferença em relação ao líder da Fórmula 1, Charles Leclerc, é acima de 100 pontos. Apesar disso, o espanhol ainda sonha em ser tricampeão, mas reconhece que é difícil.

“Ainda quero muito o terceiro campeonato, mas ao mesmo tempo, entendo como o esporte funciona agora. E você tem apenas um carro ou no máximo dois que podem lutar pelo título”, avaliou.

“Você tenta construir com a equipe aquele carro, e esse processo é interessante, crescendo junto com o time, as instalações na fábrica e todos os recursos apenas para ser uma dessas duas equipes que podem lutar pelo campeonato”, completou.

A pontuação de Alonso poderia ser melhor. Isso porque ele terminou o Grande Prêmio de Miami em nono lugar, o que lhe renderia mais dois pontos. Entretanto, foi punido após dirigir fora do circuito.

Os comissários responsáveis pela prova avaliaram que o piloto adquiriu vantagem irregular e aplicaram cinco segundos de punição. A decisão irritou Alonso.

“Eles não eram muito profissionais em Miami, eu acho. Perdi uma curva e depois devolvi o tempo na volta”, disparou, em entrevista coletiva.

Fernando Alonso é punido por dirigir fora da pista no GP de Miami

Espanhol fala sobre o futuro

Piloto da Alpine desde 2021, Alonso tem contrato com a montadora inglesa até o fim deste ano.

Ele é especulado para defender a Aston Martin a partir de 2023 e, assim, potencialmente substituir Lance Stroll ou Sebastian Vettel.

Em evento promovido pela marca Finetwork, o espanhol afirmou que não está em negociações. “Eu não falei com ninguém. Vamos ver depois das férias no meio do ano”, declarou.

Fórmula 1: próxima corrida já tem sessões de treinos livre

As duas primeiras sessões de treino livre, referentes ao GP da Espanha, foram realizadas nesta sexta-feira (20). E o atual líder da Fórmula 1, Charles Leclerc, é o principal destaque.

O piloto da Ferrari terminou as duas sessões em primeiro lugar e, consequentemente, é dono do melhor tempo do fim de semana até agora: um minuto, 19 segundos e 670 centésimos (1:19,670). Fernando Alonso foi quinto e sexto colocado.