Torcedores – Notícias Esportivas

Fórmula 1: Ex-mecânico da McLaren faz revelação sobre Lewis Hamilton e Fernando Alonso

Ex-mecânico da Fórmula 1 revelou o clima que existia no início de Hamilton na equipe, quando estreou na modalidade em 2007, como companheiro de Fernando Alonso

Danilo Lacalle
Jornalista de formação, e atleta por opção. Especialista em esportes americanos e apaixonado por esportes radicais.

Crédito: Hamilton e Fernando Alonso - Clive Mason/Getty Images

O início da trajetória de Lewis Hamilton na Fórmula 1 foi curiosa – ao menos observando pelo ponto de vista atual, após diversas quebras de recordes e 7 títulos mundiais. O piloto inglês, que começou em 2007 pela McLaren, como companheiro de brasão do espanhol Fernando Alonso, não era o preferido da equipe. Isso porque, segundo Marc Priestley, ex-mecânico que trabalhou com ambos na época, o time inteiro não acreditava que Hamilton teria sucesso na modalidade, e preferiam trabalhar no carro do piloto espanhol, que já tinha se tornado bicampeão.

“Os mecânicos e engenheiros brigavam entre eles para que conseguissem trabalhar na garagem de Fernando Alonso”, revelou Marc Priestley, em entrevista ao podcast “Pitlane Life Lessons”. “As pessoas não queriam trabalhar no carro de Hamilton porque não esperavam muita coisa dele”, revelou o ex-mecânico da McLaren, que viu Lewis começar na Fórmula 1.

Trajetória de Lewis Hamilton na Fórmula 1

Não demorou muito para a carreira de Hamilton explodir na Fórmula 1. Foi meteórica. Teve 12 pódios e 4 vitórias logo em seu ano de estreia e terminou empatado com Alonso, apenas um ponto atrás do eventual campeão Kimi Raikkonen. Anteriormente, a trajetória de Lewis já era de um vencedor, onde foi campeão nos 4 anos anteriores, com performances surpreendentes como na F3 Europeia de 2005, com 15 vitórias em 20 corridas, ou os 14 pódios em 21 disputas na F2 em 2006.

Na Fórmula 1, a estrela nascida em Stevenage explodiu ainda mais no ano seguinte, quando conquistou seu primeiro título de pilotos aos 23 anos. E o único título individual com a McLaren, visto que, em 2013, foi para a Mercedes contrariando todas as expectativas.

“Ninguém, especialmente a imprensa britânica, acreditava que a Mercedes se tornaria uma equipe de ponta no curto ou médio prazo. Achávamos que era um erro o que ele estava fazendo ao aceitar aquele convite,” afirmou Priestley.

15 anos completos após Lewis Hamilton estrear na McLaren, sem ser querido pela equipe de mecânicos, e disputando espaço com o já experiente Alonso, agora é George Russell o jovem companheiro de equipe do já experiente Hamilton.