Torcedores – Notícias Esportivas

Ronaldinho sai em defesa de Neymar, Messi e Di María e detona postura da direção do PSG

R10 não poupou os dirigentes do Paris Saint-Germain, defendeu o craque da seleção e o argentino Messi e que os parisienses querem os piores

Luciano Ferreira
Jornalista formado pelo Instituto de Ciências Sociais e Comunicação - ICSC, da Universidade Paulista (UNIP) e com certificação da Federação dos Jornalistas de Língua Portuguesa - FJLP, por meio do Oficina de Telejornalismo - Repórter de TV.

Crédito: Reprodução / Twitter/Mirror Football

Ronaldinho Gaúcho, ex-craque da seleção, Barcelona e PSG, não poupou nas críticas aos dirigentes parisienses. O ex-jogador brasileiro crê que tanto o camisa 10 do Brasil como os argentinos poderão fazer a diferença a qualquer momento.

O R10, ou o Bruxo, concedeu entrevista à imprensa espanhola e comentou sobre a final da Champions League e o momento do PSG, seu ex-clube. Portanto, criticou a postura da direção do Paris Saint-Germain de querer mudar todo o projeto desenvolvido até aqui em nome de uma reformulação do atual elenco com fortes críticas a Neymar e Messi.

Ronaldinho estará na final da UEFA Champions League como parte de uma campanha publicitária. Desta maneira, além de comentar o momento do Paris Saint-Germain, deu sua opinião acerca do Real Madrid e Liverpool; equipes as quais estarão frente à frente na grande decisão da competição europeia.

Real Madrid ou Liverpool?

Ronaldinho não ficou em cima do muro, e falou tudo o que pensa do encontro entre os espanhóis e ingleses.

Sobre qual das duas equipes que ele considera a favorita, explicou: “São duas boas equipes. Têm bons jogadores. Conquanto, desejo a elas o melhor. O Real Madrid é muito bom. Faz um bom trabalho. Mas como eu gosto muito do Barça, estou com o Liverpool (risos)”.

Críticas do PSG a Neymar e Messi; provável saída de Di María: opinião do Ronaldinho

A entrevista, portanto, foi cedida à RMC da Espanha. Contudo, o ex-craque da seleção e duas vezes o melhor jogador do planeta, mostrou não ter papas na língua quanto à postura da direção do PSG.

“Não entendo porque estão todos os grandes jogadores. E querem mudar tudo? Querem o quê? Os piores jogadores do mundo (risos). Tem que esperar até que entendem esta nova forma de viver e jogar o futebol. E o resto virá pouco a pouco. Esta adaptação é normal, para fazer as coisas bem”, disse Ronaldinho Gaúcho.

Ronaldinho disse se sentir surpreso com as informações de que o PSG precisa mudar de cara para a próxima temporada. Isso porque, na sua visão, o que necessita é dar continuidade aos craques que lá estão.

Sobre Neymar, craque da seleção e do PSG, disse considerá-lo peça chave na equipe de Paris. Quanto à continuidade do camisa 10 no Paris Saint-Germain, Ronaldinho revelou não ter dúvidas; pois, está convencido de sua qualidade e de tudo que ele pode aportar dentro das quatro linhas.

“É um dos melhores jogadores do mundo. Há tido diversas lesões neste ano. Quando está 100%, é um jogador realmente especial para esta equipe. Neymar, Di María, Messi… Os melhores jogadores estão juntos. Se não estão contentes com isso. Portanto, com quem vão jogar?”, avaliou Ronaldinho Gaúcho.

Caso Mbappé

Como não podia passar o assunto do momento, Ronaldinho foi questionado sobre o futuro de Mbappé.

“Gosto muito dele (Mbappé). O mais importante é que seja feliz, o resto virá normalmente. Se tornará no melhor jogador do mundo”, disse.

No entanto, acrescentou: “O resto depende dele para decidir onde quer jogar o que quer fazer”, afirmou á RMC sobre o atacante francês Kylian Mbappé.

Por fim, disse que espera que Benzema ganhe a Bola de Ouro, pois o atacante francês faz uma temporada espetacular. “O Benzema  me encanta. É um jogador de enormes qualidades. E isso não é somente hoje, mas vem ocorrendo há muito tempo. Esta temporada as coisa vão bem. Espero que ganhe todos os títulos individuais possíveis”, completou o ex-craque da seleção.

No Brasil, Ronaldinho Gaúcho atuou por Grêmio – onde foi revelado -, Flamengo, Atlético-MG e breve passagem pelo Fluminense. Enquanto na Europa atuou pelo PSG, Barcelona e Milan; além de disputar pela seleção brasileira as Copas do Mundo de 2002 – sendo campeão – e de 2006.