Torcedores – Notícias Esportivas

Como uma lasanha fez o Tottenham perder uma vaga na Champions League?

Última rodada da Premier League terá, além da disputa pelo título, uma briga por vaga na Champions League entre Arsenal e Tottenham

André Salem
Jornalista desde 2016, redator do Torcedores.com desde 2022.

Crédito: Getty Images

A Premier League promete ter muita emoção na última rodada, que acontece no próximo domingo (22), às 12h (horário de Brasília). No topo da tabela, Manchester City e Liverpool brigam pela taça, com apenas um ponto separando as duas equipes. O líder Manchester City recebe o Aston Villa e depende apenas dele para ser campeão. Em caso de tropeço, terá que torcer contra o Liverpool, que encara o Wolverhampton.

Mas, a última rodada deverá ter emoção também na disputa de uma vaga para a próxima edição da Champions League. O Tottenham chega na última rodada em 4º lugar, com 68 pontos. Na 5ª colocação vem o Arsenal, com 66. Como se classificam os quatro primeiros para a Liga dos Campeões, a disputa pela última vaga ainda está aberta.

Tottenham, Arsenal, Champions League e a lasanha

Curiosamente, em 2006, as duas equipes viviam situação parecida. Na época, na última rodada, o Tottenham tinha 65 pontos, contra 64 do Arsenal, na quinta posição. E uma lasanha ‘deu’ a vaga pra o Arsenal, no que ficou conhecido como o “Lasagna-gate”.

A culpa teria sido do chef de cozinha do luxuoso Marriott Hotel, onde a equipe do Tottenham estava hospedada na véspera do duelo decisivo contra o West Ham. No jantar, serviram lasanha para os jogadores, o que teria sido um pedido da maioria dos atletas. Porém, na madrugada, surgiram relatos de que vários jogadores do Tottenham estavam sofrendo de intoxicação alimentar.

Entre os jogadores afetados, estavam praticamente todos os principais jogadores do elenco: Michael Carrick, Edgar Davids, Robbie Keane, Aaron Lennon e o goleiro Paul Robinson. O ex-volante Jermaine Jenas, que fazia parte do time, deu uma entrevista recentemente e contou detalhes do ocorrido.

“Era um entra e sai do banheiro do ônibus durante todo o caminho para o Upton Park e apenas olhávamos para os rostos dos companheiros, e eles perdiam toda a cor da sua pele, era assim que todo mundo estava. Os jogadores dormindo na janela lateral do ônibus”, relatou o ex-volante.

A partida entre Tottenham e West Ham

Como já era esperado, o Tottenham teve muita dificuldade na partida. Logo aos 10 minutos, o West Ham já abriu o placar. No fim do primeiro tempo, Defoe até empatou o jogo, mas no segundo tempo, o West Ham marcou o segundo. Como o Arsenal estava vencendo a sua partida por 4 a 2, o Tottenham precisaria virar o jogo, o que naquela altura parecia algo improvável, já que seu elenco não estava 100% fisicamente.

“Quando eles marcaram o segundo gol, no momento que a bola entra, realmente não tínhamos mais nada. Estávamos acabados. No vestiário eu estava com jogadores que fizeram uma temporada fantástica e foram arrasados pela intoxicação alimentar antes do último jogo”, Lembra Jermaine Jenas.

Após a partida, o então treinador do Tottenham, Martin Jol, revelou mais detalhes do que aconteceu antes da partida e disse que o clube chegou a tentar o adiamento da partida.

“Tivemos pelo menos dez atletas com intoxicação alimentar. Eles nos acordaram cinco horas da manhã, se sentindo muito mal. Portanto, tivemos que cuidar dos jogadores, e pedimos para adiar a partida por 24 horas. Mas isso não foi possível. Então tomamos a decisão, com o elenco, o corpo técnico e médico, de jogarmos a partida”, contou o treinador, em 2006.

Teoria da conspiração

Outro fato que chamou a atenção nesse episódio, é que poderia ter sido algo encomendado. O West Ham e o Tottenham são times londrinos e a partida era em Londres. Portanto, o elenco não precisaria ter se reunido em um hotel. Não era algo habitual.

Por fim, o ex-volante Jermaine Jenas, diz ter certeza que era um torcedor do Arsenal comandando a cozinha do Marriott Hotel, e que já imaginou o chef com a camisa do Arsenal.

“É difícil de pensar que não foi intencional. Em primeiro lugar, o ocorrido foi em um momento muito específico e crucial. Então, todas essas teorias da conspiração estão por aí. Tudo o que você tem no final é uma imagem de um chef com um escudo do Arsenal no peito, dando azar aos rapazes”, disse o ex-jogador.

O clube, na época, abriu uma investigação, que constatou uma gastroenterite contagiosa do elenco após a lasanha. A princípio, a intoxicação alimentar não foi considerada proposital, pelo menos oficialmente.