Home Esportes Olímpicos COI aprova “trégua olímpica” de conflitos na ONU

COI aprova “trégua olímpica” de conflitos na ONU

COI aprova medida na assembleia geral da entidade em Nova York

Carlos Lemes Jr
Olá! Sou Carlos Lemes Jr e sou Jornalista formado, desde 2012, e no Torcedores, desde 2015. Matérias exclusivas pelo site publicadas nos portais IG, MSN e UOL. Escrevo sobre: futebol, mídia esportiva, tênis e basquete. Acredito que o esporte seja uma ótima ferramenta de inclusão, pois, sou cadeirante. Então, creio que uma das minhas "missões" aqui no Torcedores seja cobrir esporte paralímpico. Hobbies: ler, escrever e escutar música.
O chefe do Comitê Organizador das Olimpíadas de Paris, Tony Estanguet, aproveitou para exaltar os preceitos universais que segundo ele são potencializados pelo evento.

Thomas Bach, presidente do COI, na ONU (Divulgação/COI)

PUBLICIDADE

Diante dos conflitos simultâneos na Ucrânia e Faixa de Gaza, o chamado “movimento olímpico” resolveu agir nos bastidores.

Prova disso, é que segundo informações de veículos como a Veja, o COI (Comitê Olímpico Internacional) aprova, por unanimidade, uma “trégua olímpica” em ambas guerras.

“Não consigo me lembrar de uma época em que o mundo enfrentasse tantos confrontos, divisões e polarização”, disse o presidente da entidade, o alemão Thomas Bach, durante o discurso na Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) em Nova York. A reunião se deu na última terça-feira, 21 de novembro.

PUBLICIDADE

O documento foi aprovado por unanimidade com 118 votos dos países presentes, só tendo as abstenções de Rússia e Síria.

“Neste mundo frágil, esta resolução é mais relevante do que nunca. Ela é a oportunidade de enviar um sinal inequívoco ao mundo. Sim, podemos nos unir mesmo em tempos de guerras e crises. Sim, podemos dar as mãos e trabalhar juntos por um futuro melhor”, acrescentou Bach.

O que estabelece a “trégua olímpica” de Paris 2024

Para a próxima edição dos Jogos Olímpicos, a trégua estabelece que “Os países signatários devem observar o período que vai de sete dias antes dos Jogos Olímpicos ( de 26 de julho a 11 de agosto) até sete dias depois da disputa dos Jogos Paralímpicos (28 de agosto a 8 de setembro.

Vale lembrar que esse documento é proposto tanto para os Jogos Olímpicos de Verão, quanto de Inverno, e é ele, que está proibindo aos atletas russos de participarem de certas competições, sobre a bandeira e as cores nacionais.

PUBLICIDADE

Medida surgiu por sugestão do COI em 1993

A “trégua” foi reintroduzida pela ONU em 1993, a partir de uma iniciativa do COI, e é inspirada na antiga tradição grega da “ekecheiria”, que determinava o cessar de todos os conflitos, durante o período das competições esportivas para respeitar atletas e torcedores.