Home Futebol Luta por Mbappé mostra como o projeto do Real Madrid supera o dinheiro do PSG

Luta por Mbappé mostra como o projeto do Real Madrid supera o dinheiro do PSG

Os merengues parecem estar próximos de contratar o craque francês, retirando do clube parisiense sua última e maior estrela

William Nunes
Colaborador do Torcedores
Mbappé durante treinamentos pelo PSG

Mbappé durante treinamentos pelo PSG (Reprodução/X/Real Madrid)

Segundo informações da imprensa europeia, o Real Madrid parece estar perto de contratar o PSG para a próxima temporada, marcando o final do ciclo do craque francês na equipe da capital da França.

PUBLICIDADE

A chegada de Mbappé no Santiago Bernabéu, caso se confirme, representará mais uma vitória clara do projeto do Real Madrid sobre o investimento bilionário do PSG, que gastou fortunas nos últimos anos para montar um time com o francês, Messi e Neymar, não conseguindo nenhum título importante com o trio.

A estratégia do Real Madrid mudou nos últimos anos e parece cada vez mais entregar frutos. Antes optando pela contratação de estrelas, os merengues passaram a investir em nomes com grande potencial de crescimento e evolução no futebol, caso de Vinícius Júnior, Rodrygo, Éder Militão, Valverde, Camavinga, Tchouameni, Bellingham, entre outros.

PUBLICIDADE

Por que o Real Madrid mudou de estratégia, resultando na contratação de Mbappé?

Existem várias hipóteses para isso. Uma delas certamente tem a ver com o fracasso de contratações como a de Hazard, que por muito tempo foi o investimento mais caro da história do clube e praticamente não retribuiu dentro de campo.

Entretanto, o mais provável é que tenha a ver com a percepção da vantagem financeira dos times ingleses e do PSG. Há anos que investidores tem injetado dinheiro nos gigantes da Premier League, fazendo com que equipes como Chelsea e Manchester City alcançassem a prateleira mais alta da Europa.

Sabendo da impossibilidade de se manter disputando com equipes tão ricas, o Real Madrid adotou a estratégia de contratar muitos jovens, mesmo que eles custassem uma fortuna e sempre privilegiar o coletivo, em detrimento do individual.

Isso, por exemplo, é algo extremamente diferente do que acontecia no PSG nos últimos anos, quando os franceses contrataram Messi, Mbappé e Neymar e apostaram que os craques carregariam o time

PUBLICIDADE