Home Futebol Procópio Cardozo elege os três melhores goleiros da história

Procópio Cardozo elege os três melhores goleiros da história

Ex-treinador de Cruzeiro e Atlético-MG é sempre ativo nas redes sociais e revelou suas preferências sobre os grandes arqueiros que viu jogar

Marco Maciel
Marco Maciel é jornalista que atua cobrindo futebol brasileiro, com ênfase para o futebol gaúcho com Internacional e Grêmio e para a mídia esportiva. Graduado em jornalismo pela pela PUC-RS, em 2007, está no Torcedores.com desde 2022; passou pela redação e assessoria de imprensa da ALAP (Associação Latino-Americana de Publicidade); edita o site SAMBARIO, voltado para sambas-enredo, desde 2004; e passou a escrever para o site NasPistas.com a partir de 2023.
Procópio Cardozo é ídolo de torcedores do Cruzeiro e do Atlético-MG

Procópio Cardozo é ídolo de torcedores do Cruzeiro e do Atlético-MG (Divulgação/Redes Sociais)

As opiniões do veterano Procópio Cardozo sobre futebol e outros assuntos viraram tradição nas redes sociais. Na plataforma X, o experiente profissional de 84 anos sempre relembra episódios de sua longa carreira, além de repercutir as últimas notícias esportivas.

PUBLICIDADE

Ao interagir com Milton Neves no antigo Twitter sobre grandes defesas e goleiros de todos os tempos, o ex-técnico de Cruzeiro, Atlético-MG e outros clubes escolheu seus três favoritos na posição. Dois deles foram contemporâneos de Procópio nos tempos em que atuou como zagueiro.

“Castilho, Yashin e Taffarel foram os melhores goleiros que vi. Castilho joguei junto e contra. Enfrentei Yashin duas vezes uma pelo Fluminense e outra pela seleção. E Taffarel foi meu atleta no Atlético”, opinou Procópio Cardozo.

PUBLICIDADE

Procópio revelou história curiosa de Raul Plassmann com Telê

O ex-treinador aproveitou para dar um puxão de orelhas em Raul Plassmann. Para Procópio, o goleiro que fez história por Cruzeiro e Flamengo desperdiçou seu potencial. “O Raul se gostasse de treinar teria sido melhor que os três”, observou.

Ao responder um seguidor sobre quem deveria ser o goleiro na Copa do Mundo da Espanha em 1982, Procópio fez um relato de uma saia justa vivida por Raul Plassmann com Telê Santana, então técnico da seleção brasileira.

“Raul era o goleiro preferido do Telê pra 82. Até o dia que estava treinando durante uma chuvinha fina na Toca e não estava pulando nas bolas. Telê chegou de mansinho atrás do gol e disse ‘vai na bola deixa de ser preguiçoso’. Raul não sabia que era ele e mostrou o dedo médio”, recordou. Telê Santana levou para o Mundial de 1982 os arqueiros Valdir Peres, Carlos e Paulo Sérgio.

PUBLICIDADE