Home Extracampo Casagrande detona CBF por posicionamento em casos Robinho e Daniel Alves

Casagrande detona CBF por posicionamento em casos Robinho e Daniel Alves

Comentarista criticou falta de apoio à vítima e “roteiro adaptado” da entidade

Beatriz Ojeda
Ex-atleta, formada em Letras e apaixonada por esportes desde sempre. Colaboradora do Torcedores por ser o melhor lugar para aliar as duas grandes paixões.
Daniel Alves e Robinho

Robinho e Daniel Alves em concentração na seleção brasileira (Créditos: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação)

Nesta semana, o mundo do futebol teve como centro casos de dois jogadores brasileiros acusados de estupro. Daniel Alves, já condenado pela Justiça Espanhola, pode aguardar fim de julgamento em liberdade em caso de pagamento de fiança de aproximadamente R$ 5 milhões. Por outro lado, o STJ (Supremo Tribunal de Justiça) decidiu condenar Robinho a cumprir a pena estabelecida pela Justiça Italiana no Brasil, e o ex-atacante já está em reclusão. A CBF se posicionou em nota de repúdio, que não convenceu Casagrande.

PUBLICIDADE

Casagrande não acredita em nota de repúdio da CBF

Nesta sexta-feira (22), a CBF publicou uma nota de repúdio citando os incidentes cometidos por Daniel Alves e Robinho. No texto, a entidade mostra uma postura”: “A CBF, todos os seus dirigentes e a comissão técnica da seleção brasileira “se solidarizando com as vítimas brutais dos crimes cometidos pelos ex-jogadores”.

Durante o programa Fim de Papo, do portal UOL, o comentarista Casagrande detonou a postura da entidade e a nota divulgada explicando: “Eu desconsidero, sabe? Desconsidero. Foi falado por pressão, falaram porque a Leila (Pereira) falou, porque a imprensa falou, porque a opinião pública falou, porque todo mundo cobrou. E aí falaram. Aí vamos às falas, primeira coisa, ninguém falou nada sobre a garota, a vítima, ela simplesmente não existe na fala de ninguém”.

PUBLICIDADE

Casagrande acusou a entidade máxima do futebol brasileiro de machismo por não relembrar as vítimas em cada um dos casos. Logo explicou: “Você vê que claramente é forçado porque eles nem lembram da vítima. Você fala sobre o assunto que é obrigado a falar, dois jogadores (…) os dois estupraram garotas, os dois estão presos nesse momento. São dois jogadores presos neste momento e ninguém citou a vítima, citou a família do criminoso”.

O ex-jogador fez um pedido para que se lembrasse de que as vidas das vítimas foram destruídas, e não a dos condenados. Relembrando que a realidade e a simpatia deveriam ser para as meninas que sofreram os crimes e não para os atletas acusados.