Home Futebol Mano sugere camisa 9 indispensável para a seleção brasileira: “Titular”

Mano sugere camisa 9 indispensável para a seleção brasileira: “Titular”

Comentarista da CNN faz crítica pontual para Dorival Júnior após vitória do Brasil sobre a Inglaterra

Eder Bahúte
Jornalista diplomado. Apaixonado por radiojornalismo e esportes em geral. Especialista em nada, mas dá pitaco em tudo. Leitura de biografias, games e séries. Contato: [email protected]
Dorival Júnior, técnico da seleção brasileira

Dorival Júnior, técnico da seleção brasileira - (Catherine Ivill/Getty Images)

O pontapé inicial de Dorival Júnior na seleção brasileira foi positiva. Logo de cara, um resultado expressivo sobre uma forte Inglaterra por 1 a 0, em Wembley. Acionado no segundo tempo, Endrick precisou de apenas dez minutos para marcar pela primeira vez vestindo a amarelinha. A titularidade do garoto de apenas 17 anos, inclusive, foi fortemente discutida. No Domingol com Benja, Maurício Borges (Mano), tocou exatamente nesta tecla.

PUBLICIDADE

Para o comentarista, este foi o único erro de Dorival. Ainda que seja muito jovem para assumir tal responsabilidade, demonstra mais capacidade técnica que Raphinha.

“Uma crítica pontual ao Dorival Júnior. Me desculpa, mas não dá para o Endrick ser banco do Raphinha. Eu sei que o Endrick é garoto, eu sei que ele tem muito a crescer ainda, não dá pra dar a camisa na mão dele, mas hoje diante do que ambos mostraram dá pra bancar o garoto como titular”, declarou Mano.

PUBLICIDADE

Em coluna publicada no UOL Esporte, Walter Casagrande afirmou que não há mais dúvidas sobre quem deverá ocupar a camisa 9 da seleção brasileira.

“O time do Dorival Jr mostrou ter personalidade e muita confiança nas jogadas. Agora, Dorival não pode ter mais nenhuma dúvida de quem deve ser o camisa 9 titular da seleção brasileira. Esse cara se chama Endrick, que fez seu primeiro gol na seleção em pleno palco histórico de Wembley”, decretou Casa.

“Ele é um garoto especial, não só como jogador, mas como pessoa, e isso se deve à educação que seus pais lhe deram. Endrick tem técnica, força e se posiciona muito bem, com um recheio enorme de inteligência futebolística”, acrescentou.

Galvão Bueno narra gol de Endrick pela seleção brasileira

Presente no estádio de Wembley, mas como ‘torcedor’, Galvão Bueno viu uma experiência nova. Acostumado a narrar os jogos da seleção brasileira pela Globo, desta vez o locutor apenas assistiu das arquibancadas do histórico palco inglês.

PUBLICIDADE

“Eu não poderia deixar de falar que me senti um pouco estranho aqui em Wembley sentado na cadeira, junto com familiares de jogadores”, disse Galvão, que na sequência relatou o encontro emocionante com os pais de Endrick.

“A alegria do pai e da mãe do Endrick era uma coisa espetacular. Todo mundo ali parabenizando. Quando ele me viu, foi um abraço muito carinhoso. Ganhei um beijo, dei um beijo, falamos do menino”, afirmou o jornalista.