Home Futebol Diniz critica quedas de técnicos no futebol brasileiro e opina sobre saída de Carpini no SPFC

Diniz critica quedas de técnicos no futebol brasileiro e opina sobre saída de Carpini no SPFC

Técnico do Fluminense vê influência da imprensa em instabilidade de técnicos no futebol brasileiro nos últimos anos

Victor Martins
De Santo André-SP, formado em Jornalismo pela Unversidade Metodista de São Paulo (classe de 2010-13), trabalhando no Torcedores desde janeiro de 2016 (ou algo neste sentido). Iniciado na profissão desde meados de 2006, ao fazer a cobertura da Copa do Mundo da Alemanha para o site Abolanet. cobrindo jogos e os destaques de algumas seleções durante o evento, e posteriormente trabalhando neste até cerca de 2007. Entre os anos de 2008 e 2015, trabalhei para uma agência de notícias que produziu conteúdo para diversas páginas. Destas, principalmente a da Federação Paulista de Futebol, fazendo serviços de placar ao vivo das mais diversas competições (nacionais e internacionais) e serviços de pós-jogo focados nos clubes de São Paulo Desde 2016 venho trabalhando no Torcedores, onde venho desempenhando uma série de funções dentro do site, como setorista de clubes do futebol brasileiro e de outros esportes (MMA), além de trabalhar em várias partes do organograma da página. Atualmente, exerço trabalho na cobertura de futebol nacional e internacional, com a criação de matérias sobre clubes e jogadores, além de produção de guias de TV (onde assistir aos jogos) das partidas dos mais variados torneios no Brasil e no mundo
Fernando Diniz

Fernando Diniz durante coletiva (FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE FC)

Fernando Diniz conhece os altos e baixos da carreira de treinador e foi alvo de certa pressão nos últimos dias por conta da derrota do Fluminense para o Bahia no meio de semana. Mas tudo pode ter mudado com a vitória no clássico deste sábado (20) sobre o Vasco,

PUBLICIDADE

E tal instabilidade foi comentada pelo treinador do Flu na coletiva pós-clássico. Citando a recente demissão de Thiago Carpini do São Paulo, Diniz criticou as atitudes de diretorias de clubes e também da imprensa no processo de trabalho dos treinadores, por enxergar que estas tem a ver no modo como o trabalho destes é feito.

“Acho que, neste sentido, vocês (se referindo à imprensa) são formadores de opinião, participam muito, São os que mais batem nos treinadores. Vai vir um monte de treinados estrangeiro… E a moda agora é seguinte: vai vir, não vai ganhar nada e vai embora. Quantos treinadores estrangeiros o Botafogo teve? O Cruzeiro? É um processo, o cara vem e perde…”, disse o técnico tricolor.

PUBLICIDADE

“Eu achei ridículo o que fizeram com o Carpini no São Paulo e o que acontece com os estrangeiros. Não é que técnico brasileiro serve, ninguém serve. Serve só ganhar. O Abel Ferreira não está aí há tanto tempo porque é bom. Ele é bom mesmo, porque senão não ganharia o que está ganhando. Mas ele está aí porque ganhou. Quando eu falo que é análise de resultados…”, completou Fernando Diniz.

Notório crítico de diversas práticas do futebol brasileiro, Diniz reafirmou a sua visão de que a cultura do gerenciamento de técnicos no país dá ênfase maior as vitórias e tem prejudicado muitos treinadores que não tem conseguido se estabelecer diante de tal visão existente entre dirigentes e imprensa.

“Tem um monte de treinador brasileiro bom, mas que tem menos tempo. A gente tem paciência maior para mandar estrangeiro agora. O Roger Machado, na minha opinião, é um excelente técnico e ficou um tempão aí sem mercado. O Zé Ricardo, (Eduardo) Barroca, Vagner Mancini. Todos são bons treinadores, mas aqui a gente só acha bom quem ganha. Não avaliamos conteúdo. A gente já entra num automatismo de quem ganha é bom e quem perde é ruim”, comentou o treinador.