Home Futebol Nicola atualiza cifras de acordo do Corinthians por naming rights do Parque São Jorge

Nicola atualiza cifras de acordo do Corinthians por naming rights do Parque São Jorge

O Timão procura por receitas e pode garantir valor milionário com casa de aposta por centro de treinamento

Beatriz Ojeda
Ex-atleta, formada em Letras e apaixonada por esportes desde sempre. Colaboradora do Torcedores por ser o melhor lugar para aliar as duas grandes paixões.
CT do Corinthians

Imagem aérea do CT do Corinthians (Créditos: Corinthians TV)

O Corinthians vive uma situação financeira problemática há algumas temporadas. Desta forma, o Timão procura novas alternativas para trazer receita aos seus cofres. O clube está aguardando os últimos detalhes para encerrar um patrocínio pelos naming rights do centro de treinamento do clube, Jorge Nicola explicou os bastidores.

PUBLICIDADE

Jorge Nicola atualiza receita com Parque São Jorge

Durante vídeo publicado no seu canal de Youtube, o jornalista esportivo afirmou que o Superintendente de Maketing, Sérgio Moura, comentou em um podcast sobre a negociação da venda dos naming rights para o Parque São Jorge. O jornalista explicou que o Timão pode embolsar R$ 350 milhões por um contrato de 15 anos para contar com o nome de uma casa de apostas atrelada ao CT.

Na opinião de Jorge Nicola, seria um valor “estratosférico” principalmente levando em consideração que é um centro de treinamentos. O superintendente de Marketing do Corinthians também teria afirmado que, recebeu uma exposição negativa pela investigação da comissão do contrato de patrocínio máster e que isso interferiu nas tratativas para fechar o acordo.

PUBLICIDADE

Jorge Nicola afirmou que o membro da diretoria do Corinthians não mencionou qual seria a empresa interessada na propriedade do Centro de Treinamentos. Porém, existe especulação de que uma empresa de casas de apostas deve ser a principal interessada em fechar o negócio. No entanto, sem oficialização, ainda não há como confirmar a companhia e os valores.

Finalmente, Jorge Nicola apontou que a exposição negativa sobre a saída de Rubão e a negociação sobre a comissão da empresa de patrocínio máster fizeram com que as conversas pelo acordo do CT recuassem. Incluindo questionamentos da companhia sobre se haveria capacidade para que o acordo fosse transparente e inclusive para não ser “ridicularizados” pela negociação.