Home Futebol Palmeiras investe R$ 30 milhões anuais e vê base valorizada na Europa

Palmeiras investe R$ 30 milhões anuais e vê base valorizada na Europa

Verdão colhe frutos do trabalho iniciado em 2015 por Paulo Nobre e Alexandre Mattos     

Márcio Padula
Márcio Padula é um jornalista que atua há dois anos na cobertura da Sociedade Esportiva Palmeiras e em seu início de carreira escreveu para o jornal Diário de São Paulo sobre os quatro grandes clubes do Estado. Graduado pela FIAM – Faculdades Integradas Alcântara Machado em 1997, já passou por assessorias de comunicação, revistas e jornais. Atualmente no Torcedores.com.
Estêvão, do Palmeiras

Estêvão deve jogar no Chelsea em 2025 - Alexandre Schneider/Getty Images

O Palmeiras deve vender Estêvão para o Chelsea, com a transação muito próxima de acontecer e girando na casa dos 65 milhões de euros, ou R$ 363 milhões, na cotação atual.

PUBLICIDADE

Portanto, o valor que joia do Verdão deve atingir mostra o que é a nova era da base do clube, que nunca foi forte nesse quesito, e agora ‘recheia’ as principais ligas europeias com jogadores de alto nível.

Vale reforçar que essa nova era teve início em 2015, com a chegada de João Paulo Sampaio, contratado como o novo coordenador da base do Palmeiras, pelo então presidente Paulo Nobre e o diretor Alexandre Mattos.

PUBLICIDADE

Sampaio chegava então ao Verdão com a missão de fazer uma reformulação das categorias de base, e o foco era na melhoria da estrutura e no aumento da rede de captação de talentos.

Assim, primeiro as ‘crias’ da Academia de Futebol serviram para a manutenção do investimento no time profissional, e os negócios aconteciam com equipes de menor prestígio em Portugal ou mercados alternativos, como Ucrânia e Japão.

Na chegada de Anderson Barros, diretor de futebol, os jovens do Palmeiras passaram a colaborar com o time de cima, e atualmente, um terço do elenco principal do Verdão vem da base do clube.

Gabriel Jesus ‘inaugurou’ a nova era de atletas da base do Palmeiras  

O grande ‘boom’ se deu em 2016, quando o Palmeiras negociou Gabriel Jesus com o Manchester City, por R$ 121 milhões, ficando com R$ 70 milhões, e dando uma ideia do que era agora a base do clube.

PUBLICIDADE

Para se ter uma ideia, antes de Gabriel, a última transação do Palmeiras com a Premier League foi 2008, quando o clube vendeu o goleiro Diego Cavalieri para o Liverpool, com o valor À época de menos de R$ 10 milhões.

Nesta nova fase o Verdão já vendeu Danilo para o Nottingham Forest, que pagou R$ 110 milhões pelo jogador. Agora deve ser a vez de Estêvão, que fica no clube até completar 18 anos, no ano que vem.

Para a Espanha, temos Endrick que está seguindo para o Real Madrid por 35 milhões de euros fixos (R$ 198 milhões na cotação da época), além de 25 milhões de euros (R$ 141 milhões) em bônus para fechar a aquisição do atleta em 2022.

Portanto, na era João Paulo Sampaio, o Palmeiras já arrecadou mais de R$ 1,1 bilhão em vendas de atletas formados na base.

PUBLICIDADE
18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial