A partir de 2021, futuro da Mercedes na Fórmula 1 é incerto

Montadora ainda não entrou em acordo com a Liberty Media e também pretende economizar cerca de R$ 6,3 bilhões nos próximos anos. Permanência na categoria, com o novo regulamento, pode render prejuízos

Carlos Henrique Correia
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução / Facebook Oficial Mercedes AMG F1 Team

Há algum tempo que as mídias circulam informações de que o futuro da Mercedes na Fórmula 1 é incerto, a partir de 2021. Pois na próxima temporada, o regulamento da principal categoria do automobilismo mundial será modificado, o que pode não ser tão favorável para a montadora alemã.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Nos últimos dias, os sites ‘Racefans’ e ‘Autocar’ noticiaram que o próximo dia 12 de fevereiro será crucial para a definição do time de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. Na data, haverá uma reunião que pode resultar em uma parceria entre Toto Wolff e Lawrence Stroll.

Caso os planos sejam executados, o empresário canadense venderia a Racing Point, na qual seu filho Lance Stroll corre, e compraria a marca Aston Martin. Com a manobra, rebatizaria o nome do time.  A Liberty Media, detentora dos direitos da categoria, ainda não entrou em acordo com a Mercedes.

Alguns fatores podem explicar o posicionamento da montadora alemã, que está em busca de diminuir pelo menos US$ 1,5 bilhão, cerca de R$ 6,3 bilhões na cotação atual, até 2022. Além do que, o custo de manutenção dos atuais motores, que são híbridos, reforça gastos em um desejo que a montadora já tem – que é uma equipe na Fórmula E.

Um outro ponto dessa discussão é que com os seis títulos conquistados nos últimos anos, tanto no Mundial de Construtores, como no de pilotos, as novas regras irão chegar para deixar as escuderias em condições iguais de disputa e com isso os adversários podem acabar com a hegemonia alemã conquistada dos últimos anos.

A Mercedes renovou seus contratos de fornecimento de motores com outras equipes do grid, como a Racing Point e Willians, e retornou a parceria com a McLaren para oferecer o mesmo tipo de serviço.

LEIA MAIS