Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

As duas faces da primeira vitória do Arsenal sob o comando do espanhol Mikel Arteta

Gunners venceram o Manchester United por 2 a 0 nesta quarta-feira (1) no Emirates Stadium; resultado encerra jejum de três meses sem vitórias do Arsenal jogando em casa pela Premier League

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Reprodução / Facebook / Premier League

O Arsenal talvez seja o clube que mais necessitava de um projeto de reestruturação nesses últimos anos na Premier League. Os números eram a prova mais clara dessa tese: os Gunners não venciam um jogo como mandante pela Premier League desde o início de outubro de 2019 e colecionavam decepções atrás de decepções. A chegada de do espanhol Mikel Arteta (discípulo de Pep Guardiola) visava reoxigenar as ideias e tenar dar uma “cara” a um elenco caro e composto por nomes badalados como o alemão Özil, o gabonês Aubameyang e o brasileiro David Luiz. A vitória sobre o Manchester United neste primeiro dia de 2020 já mostrou um Arsenal diferente e mais disposto, embora ainda bastante irregular durante os noventa e poucos minutos de partida em Londres. O primeiro tempo do Arsenal foi de encher os olhos. Já a etapa final deixou algumas dúvidas no ar.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Os primeiros 45 minutos do Arsenal foram avassaladores. Pressão nas saídas de bola, intensidade na marcação para recuperar a posse, transições rápidas (principalmente pela direita com Pépé e Maitland-Niles) e posicionamento inteligente. Jogando no mesmo 4-2-3-1 do Manchester United, a equipe comandada por Mikel Arteta surpreenderam até mesmo o mais fanático torcedor do Arsenal com ótimo toque de bola e a participação muito mais frequente e efetiva do alemão Özil na construção das jogadas explorando bem os espaços entre as linhas dos Red Devils. O United até que tentou criar alguma coisa com Rashoford partindo da esquerda para o meio e com Fred tentando fazer a boal chegar em Martial, mas o time de preto acabou esbarrando na marcação intensa dos Gunners e em mais uma atuação apagada de Lingard. Sem saída de bola e sem criatividade, a equipe comandada por Solskjaer acabaria se tornando presa fácil para o Arsenal de Mikel Arteta. A jogada de Kolasinac que resultou no gol de Pépé foi o retrato quase perfeito do que foi a primeira etapa.

Arsenal vs Manchester United - Football tactics and formations

O Arsenal ocupava bem os espaços, marcava com intensidade e explorava bem a velocidade de Pépé e Aubameyang pelos lados do campo. O time de Mikel Arteta construiu bem o resultado nos primeiros 45 minutos jogando um futebol que mostrava alguns dos conceitos aprendido com Guardiola.

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

A alta intensidade do Arsenal acabaria cobrando seu preço na segunda etapa, fato que fez com que os torcedores se lembrassem da virada sofrida contra o Chelsea, no dia 29 de dezembro. Além do desgaste físico, o técnico Mikel Arteta também facilitaria a vida do Manchester United ao sacar Pépé para a entrada de Nelson (que não entrou bem na partida). Do outro lado, Solskjaer desmontaria o 4-2-3-1 dos Red Devils com a entrada de Greenwood, Andreas Pereira e Mata nos lugares de David James, Lingard e Matic. No entanto, mesmo atuando num ofensivo 4-3-3 durante os minutos finais da partida no Emirates Stadium, o Manchester United não conseguiu furar o bloqueio defensivo do Arsenal e nem a atuação segura do goleiro Leno. A essa altura, Mikel Arteta já havia desmontado o desenho tático inicial da sua equipe para um 4-5-1 mais fechado, tendo o alemão Özil como jogador mais avançado além do tripé de volantes formado por Torreira, Xhaka e Guendouzi à frente da zaga. Mesmo caindo muito de produção, no entanto, o Arsenal segurou o resultado até o apito final.

Manchester United vs Arsenal - Football tactics and formations

O Manchester United se aproveitou da queda abrupta de rendimento do Arsenal e se lançou ao ataque com as mexidas de Solskjaer, mas sem ameaçar o gol de Leno com a contundência se fecharam esperada. Os Gunners se fecharam na defesa com uma linha de cinco à frente da zaga e adminstraram o resuultado até o final da partida.

A primeira vitória do Arsenal sob o comando de Mikel Arteta foi marcada pela intensidade e pelo bom jogo coletivo da primeira etapa e pela queda de rendimento e até por um certo pragmatismo no segundo tempo. Embora os Gunners tenham mostrado certa evolução deste a estreia do espanhol ao comando da equipe (no empate contra o Bournemouth no Boxing Day), os Gunners ainda vão precisar de tempo para assimilar as novas ideias de seu treinador e também para reforçar o preparo físico e mental. Pelo que se viu na vitória sobre o Manchester United, a tendência é vermos o Arsenal entrando em campo com um time muito semelhante ao que entrou em campo nesta quarta-feira (1): um 4-2-3-1 com Pépé, Özil e Aubameyang atrás de Lacazette e à frente de Torreira e Xhaka, dois volantes que marcam muito bem e sabem organizar a saída de bola com passe qualificado e visão de jogo. Além disso, David Luiz e Sokratis foram bem quando exigidos e Leno finalmente mostrou um pouco de segurança.

O trabalho de Mikel Arteta está apenas começando e já é sabido de que ele ainda vai precisar de tempo para colocar o Arsenal do jeito que ele deseja. O primeiro tempo contra o Manchester United mostrou o caminho. Agora é colocar as ideias em prática e recuperar o tempo perdido.

LEIA MAIS:

Arsenal derrota Manchester United e volta a vencer no Emirates Stadium

Sokratis exalta desempenho do Arsenal na vitória sobre o Manchester United: “Foi uma de nossas melhores performances”