Novo reforço do Grêmio, Thiago Neves acumula série de polêmicas

Primeiros desentendimentos do jogador começaram em 2007. Relembre os principais casos.

Vinícius Dominichelli
Colaborador do Torcedores

Crédito: Vinnicius Silva/Cruzeiro EC

Dezessete títulos na carreira e quase 200 gols. A trajetória de Thiago Neves no futebol, novo reforço do Grêmio, é repleta de glórias. Mas o reforço do tricolor gaúcho também acumula uma série de polêmicas e confusões dentro e fora de campo.

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

A primeira delas foi na metade de 2007, quando já era ídolo da torcida do Fluminense. Com pouco mais de 20 anos de idade, o meia assinou um pré-contrato com o Palmeiras para atuar com a camisa alviverde no ano seguinte.

Thiago recebeu R$ 400 mil em comissão por conta da assinatura do contrato e logo comprou uma BMW. No entanto, o jogador voltou atrás e renovou seu vínculo com o clube carioca. A briga na Justiça entre os dois times determinou que o Tricolor das Laranjeiras ressarcisse o Verdão em mais de R$ 2 milhões pela rescisão do vínculo.

Ainda em 2008, marcou três gols na sonora goleada por 4 a 1 sobre o rival Flamengo pelo Campeonato Carioca. Thiago Neves foi comemorar em frente à torcida adversária e dançou o “Créu”, famosa música que estourava nas rádios na época.

Thiago teve rápida passagem pelo Hamburgo, da Alemanha, em 2009. Voltou ao Fluminense no mesmo ano para disputar apenas sete jogos e acertou sua ida para o Al-Hilal, da Arábia Saudita. Ficou por lá durante duas temporadas e não causou grandes problemas ao time árabe.

No início de 2011, o Flamengo anunciou o meia como principal reforço para a temporada. Mesmo contrariada, a torcida rubro-negra delirou com a dupla formada com Ronaldinho Gaúcho. O meia conquistou a Taça Rio, a Taça Guanabara e o Campeonato Carioca.

Mesmo com boas atuações no Fla, Thiago Neves decidiu pegar suas chuteiras e se mandar para o Fluminense em 2012. Negociou pessoalmente com a equipe das Laranjeiras e ignorou o interesse do rubro-negro em comprá-lo.

Já no Cruzeiro, o meia polemizou ao fazer uma piada infeliz com a tragédia de Brumadinho, que matou mais de 200 pessoas no início de 2019. O atleta usou o rompimento da barragem da cidade mineira fazendo uma montagem com o escudo do clube rival: “Barragem que já caiu uma vez assusta moradores de Vespasiano e região. Atenção aí moradores (risos)”. O jogador aparentemente se arrependeu, pediu desculpas e excluiu a publicação.

Uma das últimas polêmicas de Thiago no Cruzeiro foi com o técnico Rogério Ceni. Após a goleada sofrida por 3 a 0 sobre o Internacional na Copa do Brasil, o meia criticou publicamente as escolhas do treinador. Pouco tempo depois Rogério saiu da Raposa.

Na zona de rebaixamento e com os salários atrasados, Thiago Neves cobrou por telefone Zezé Perrella, gestor de futebol e presidente do Conselho Deliberativo do clube. O áudio vazou e gerou mais crise ainda na equipe. No jogo seguinte, o atleta ainda perdeu um pênalti contra o CSA, em pleno Mineirão, decisivo para a queda da Raposa à Série B.

LEIA MAIS

Mercado da bola: Grêmio anuncia a contratação de Thiago Neves