‘Mundão’ de gratidão: elenco do São Raimundo-RR doa lanches a moradores de rua de Suzano-SP

Atual campeão sub-20 do Estado de Roraima, São Raimundo-RR vem se destacando dentro e fora de campo na Copinha

Lucas Calegari
Colaborador do Torcedores

Crédito: Arquivo Pessoal

O São Raimundo-RR ou o Mundão, como é carinhosamente conhecido pela sua torcida, disputa mais uma vez a Copa São Paulo de futebol júnior, competição para atletas até 20 anos de idade. Nesta temporada já disputou duas partidas, vencendo a primeira contra o União Suzano por 3 a 0 e empatando a segunda contra a Chapecoense por 0 a 0. Ocupa a segunda colocação do grupo 22 e com pelo menos mais um empate se classifica para a segunda fase do torneio.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Mas se engana quem pensa que a equipe roraimense vem se destacando apenas dentro das quatro linhas. Fora delas um enorme trabalho, principalmente com as categorias de base, vem sendo feito. E a equipe que está alojada na cidade de Suzano, que é a sede de disputa do seu grupo na Copinha, teve um gesto simples, humilde e consciente: doou lanches recebidos da organização do torneio para moradores de rua da cidade paulista.

 

O Torcedores.com entrevistou com exclusividade Beto Vieira, técnico da equipe sub-20 do São Raimundo-RR, para sabermos mais sobre esta ação e conhecer melhor a equipe da região Norte brasileira.

Quem foi o idealizador da ação com os moradores de rua? E o que inspirou tal atitude?

– Eu, juntamente com a minha comissão técnica que prontamente abraçou a ideia. A inspiração veio a partir de um momento religioso e da percepção de que existem muitos moradores de rua por aqui (Suzano). A partir daí conversei com a minha comissão técnica, posteriormente com os meus atletas e decidimos abrir mão de um lanche a mais que tínhamos recebido para doar aos moradores de rua que provavelmente não têm nenhum. E assim temos feito todas as noites desde a última sexta-feira (03).

O futebol é um esporte muito competitivo, sempre queremos muitas vitórias e títulos. Mas sobretudo nesta etapa das categorias de base, mais do que formar atletas campeões precisamos formar homens de bens, pessoas com uma cabeça aberta e que pensem em melhorar o mundo no qual vivemos. O quão importante e relevante para a formação desses atletas você considera ensinar e mostrar a eles o bem desse tipo de atitude?

– A formação do cidadão é um dos carros chefes do nosso projeto (Criança na Escola, Craque de Bola), no qual já atendemos mais de 200 crianças. Todos os nossos monitores e colaboradores têm que entender esse processo, não é somente a formação do atleta para dentro do campo. A parte social é inserida no esporte justamente para que seja feita a reflexão de que se você não plantar bons frutos, se você não for grato, amanhã pode ser você passando por necessidade, por exemplo. Para mim a palavra-chave de tudo é gratidão e que está associada ao caráter da pessoa.

Nos fale um pouco mais sobre o projeto de vocês “Criança na Escola, Craque de Bola”. Quando ele começou? Vocês atendem meninos e meninas? Algum garoto desta equipe da Copinha é oriundo desse projeto? Faça um apanhado por favor.

– O projeto iniciou em 2011 quando a atual presidente do clube assumiu (senhor José Sergio Leitão Carvalho) junto com a sua equipe, onde eu também acumulo a função de vice-presidente do clube. A ideia do projeto é de formação de atletas ligados a sociedade, um trabalho de inclusão iniciado no bairro Operário, onde fica o nosso Centro de Treinamento e a sede do clube. Atualmente nós temos dois pólos do projeto, um em Boa Vista onde atendemos cerca de 200 crianças e outro que começamos em 2016 em Caracaraí, que é uma das maiores cidades do estado de Roraima e já abrange 85 crianças. Em ambos os pólos atendemos meninos e meninas, nos preocupamos muito com todas as categorias. E nesse ano vivo uma alegria por ser o ano que mais temos atletas na Copinha oriundos do nosso projeto. Ao todo são 11 meninos desse elenco que está aqui comigo em Suzano atendidos pelo nosso projeto já há alguns anos.

Falando sobre problemas sociais, nos últimos anos muitos venezuelanos tem migrado para o Brasil em busca de uma vida melhor tendo em vista diversos problemas que passa o seu país natal, porém a maioria vem sem nenhum planejamento ou condição de se sustentar e acaba sofrendo com necessidades básicas. Aqui no Brasil a opinião sobre ajudar e acolher é dividida. Qual a postura do São Raimundo quanto a isso, já que uma das “portas de entrada” desses imigrantes é o estado de Roraima?

– O São Raimundo-RR fica um pouco de mãos atadas quanto a isso pois ainda somos uma instituição pequena, infelizmente não podemos contribuir muito. Mas nós fazemos ações sociais, participamos do projeto “Acolhida” (administrado pelo professor Madri e que atende aos venezuelanos) com doação de roupas do clube, meiões, shorts, coletes bons para uso mas que não precisamos mais usar, por exemplo. E promovemos bolsas exclusivas para os venezuelanos no nosso projeto dentro do clube. Infelizmente não podemos atender a todos, porque a procura é bem grande.

Para finalizarmos, vamos falar sobre o lado esportivo dentro das quatro linhas. A sua equipe tem boas chances de classificação para a segunda fase do torneio, qual o objetivo de vocês para essa Copa São Paulo de Futebol Júnior? Vocês têm alguma meta?

– É um campeonato de tiro curto, não tem muito tempo de descanso entre uma partida e outra, então estamos trabalhando isso com os meninos e considero que viemos bem preparados. Fizemos uma pré-temporada boa, com uma parte sendo realizada em Goiânia, disputando partidas e visando essa sequência forte de jogos como iríamos ter aqui. Suportamos bem, mas agora é valendo três pontos, então temos que estar focados a todo momento porque nosso adversário é forte (União ABC). Precisamos de pelo menos um ponto e vamos fazer de tudo para conseguir. Acredito que o São Raimundo-RR pode passar dessa etapa da fase de grupos e ir bem mais longe.

O São Raimundo-RR encerra sua participação na fase de grupos da Copinha 2020 nesta quinta-feira (09) diante do União ABC. A partida esta marcada para às 13:00 (horário de Brasília) e terá transmissão online da Federação Paulista de Futebol e do site Mycujoo.tv.

 

Leia mais: 60 jogadores que penduraram as chuteiras nesta década (2010-2019)

4 erros que o Vasco não pode repetir em 2020