Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Castán sobre jovens do Vasco: “Temos que orientar esses meninos para não se cobrarem demais”

Zagueiro de 33 anos cita atacantes Talles e Marrony como exemplos de jogadores que podem fazer a diferença em São Januário

Patrick Monteiro
Repórter do Torcedores com passagens por: jornal O Fluminense (Niterói/RJ) e diário Lance. Comentarista e narrador na extinta Rádio Fluminense AM 540, onde apresentou os programas "Futebol Internacional" e "Jornada Esportiva". Ex-colunista do site Chelsea Brasil. Cobriu, in loco, a Copa do Mundo FIFA 2014, incluindo a grande final (Alemanha x Argentina), entre outros eventos, como Rio Open de tênis, Copa Brasil de Vela e Conmebol Libertadores.

Crédito: Divulgação/Rafael Ribeiro / Vasco da Gama

Leandro Castán é referência no elenco repleto de jovens que possui atualmente o Vasco. Ele acredita nos novos talentos do clube e se diz contente em vê-los recebendo oportunidades.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“O Talles é um menino. Não podemos esquecer que ele tem 17 anos. Temos que ter cabeça fria, orientar esses meninos para não se cobrarem demais. O ano está apenas começando, tem muita coisa pela frente, e temos que ter sabedoria para lidar com as críticas, com a pressão. Estou muito feliz por ele, pelo Marrony e por toda a rapaziada”, disse o zagueiro.

Já sem chances de classificação para a semifinal da Taça Guanabara, o Cruz-Maltino visita a Portuguesa, no próximo domingo (9), às 16h (de Brasília), pela última rodada da fase de grupos do primeiro turno do Campeonato Carioca. Em seguida, na quarta-feira (12), outra vez fora de casa, a equipe comandada por Abel Braga estreia na Copa do Brasil contra o Altos-PI, em partida única e eliminatória. Neste duelo do mata-mata nacional, os cariocas entram em campo podendo empatar para obterem a classificação.

Veja também:

Novo titular no time de Abel Braga celebra chance e avalia início de temporada: “Todos nós estamos evoluindo”

Brasil pode ir aos Jogos Olímpicos até com derrota, mas só vitória garante vaga sem depender de resultado alheio