Dirigentes monitoram situação do Vietnã por coronavírus, mas prova segue no calendário da F1

Grande Prêmio da China foi cancelado por surto da doença. Vietnã, novidade do calendário 2020 da categoria, é monitorado de perto e causa preocupação

Carlos Henrique Correia
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução / Facebook Oficial Fórmula 1

Na última quarta-feira (12) a Fórmula 1 e a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciaram o cancelamento do Grande Prêmio da Xangai por conta da epidemia de coronavírus. Agora, os dirigentes da categoria monitoram a prova do Vietnã, uma das novidades para o calendário de 2020.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

A cidade de Hanói, onde fica o circuito, já registrou 14 casos da doença e está a 160 quilômetros da fronteira com a China. Até o momento não há informações de mortes.

Segundo o diretor técnico e esportivo da Fórmula 1, Ross Brawn o caso foi estudado. “Houve contágios, mas o nível não é motivo de preocupação. O conselho que estamos recebendo é de que o evento pode ir em frente”.

Entretanto, a Liberty Media, detentora dos direitos e promotora da Fórmula 1, monitora de perto a situação, pois muito dinheiro foi investido para a realização dessa corrida. Será a primeira vez na história que o país sediará um GP da principal categoria do automobilismo mundial.

Quarentena

Por conta da epidemia do vírus, que se espalhou pelo país, as autoridades chinesas suspenderam provas de diversas modalidades no país, como por exemplo o rali e até eventos de e-sports que estavam programados para os próximos dias.

Devido a propagação da doença, a China não terá equipe feminina de handebol nas Olimpíadas de Tóquio 2020. O time não irá participar do Pré-Olímpico, marcado para março, em Budapeste, e ficou sem chances de classificação para os jogos.

LEIA MAIS