Maurício Capela analisa o início do Guarani no Paulistão

Um dos clubes mais tradicionais do futebol brasileiro, o Guarani já lidera o seu grupo na competição estadual, ostentando ainda o segundo melhor ataque do torneio

Maurício Capela
Jornalista há 25 anos, Maurício Capela é comentarista esportivo há mais de uma década e hoje está na Super Rádio. Foi escolhido pela Associação do Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (Aceesp) como um dos três melhores na função em televisão, em 2016, quando atuava pela RedeTV!. Com passagens pelas rádios 105 FM, Tri FM de Santos (SP), Tropical FM, entre outras, o profissional tem larga experiência também no jornalismo impresso e digital. Além de ter mantido blog sobre esportes no Estadão, militou em Veja, Valor, Gazeta Mercantil e outros.

Crédito: Crédito: David Oliveira / Guarani FC

O Campeonato Paulista versão 2020 ainda rabisca os primeiros traços. E, por ora, não há um destaque claro entre os 16 times da primeira divisão estadual. Muito embora o início de temporada seja um fato, isso não impede que algumas camisas tradicionais do futebol brasileiro já demonstrem uma certa consistência nesse, que é considerado o Regional mais difícil do País. É o caso, por exemplo, do Guarani Futebol Clube.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Alocado no Grupo D da competição, o Bugre de Campinas, como é conhecido nacionalmente, vem dando mostras que pretende olhar com afinco para o Paulistão. Hoje, divide a liderança da chave com o Corinthians, somando 7 pontos. E vai encarar na quinta rodada do certame o Oeste, fora de casa, na noite dessa sexta-feira.

Desempenho do Guarani

Com a ajuda do FootStats, dá para notar que o começo do Campeonato Paulista para o Guarani é, de fato, consistente. Quando se coloca o clube lado a lado com as outras 15 agremiações, os indicadores demonstram que o projeto em Campinas pode render frutos no torneio deste ano.

Gols

Por exemplo. O número de gols marcados pelo Bugre até aqui o torna o segundo melhor ataque da competição. Em 4 jogos, a equipe de Campinas balançou as redes adversárias por 8 vezes, contra os 9 feitos pelos líderes dos indicadores, Palmeiras e Mirassol.

Assistências

Nesse quesito, o time também vem demonstrando força. A média é de 1,5 assistências por partida, o que o põe em um confortável segundo lugar. Só perde para o Mirassol, que ostenta 2,3 assistências por jogo.

Defesa

Outro ponto forte da equipe é o sistema defensivo. A média é de 6 defesas simples por partida, tornando-o o terceiro nesse ponto. O líder é o Oeste, com 8 a cada 90 minutos.

Posse de Bola

Apesar de estar bem colocado nesse quesito – o clube é o 6o -, há espaço para melhora. O Guarani ostenta 52% de posse de bola, enquanto o líder nesse indicador é o São Paulo, do técnico Fernando Diniz, que costuma levar esse ponto muito em conta, com 61%.

LEIA MAIS:
Maurício Capela analisa o Carioca 2020, agora com Honda no Botafogo