Perfil do Rony: Quem é o novo reforço do Palmeiras?

Aos 24, atacante já jogou por Remo, Cruzeiro Sub-20, Náutico, Albirex Niigata e Athletico-PR

Thiago Peruch
Colaborador do Torcedores.com.

Foto: Créditos: Divulgação/ Palmeiras

Anunciado pelo Palmeiras, Rony já passou fome, trabalhou como pedreiro para se sustentar no futebol, foi pro Japão e tornou protagonista da conquista da Copa do Brasil pelo Athletico-PR.

Depois de uma novela envolvendo seu antigo clube, o alviverde e o Corinthians, Rony teve 50% de seu passe comprado pelo Verdão. Mas iniciemos a história de Rony do começo:

INFÂNCIA

Ronielson da Silva Barbosa nasceu em 1995, na cidade de Magalhães Barata, no Pará, em uma zona rural chamada Vila Quadros, à 150km de Belém, capital do Estado. Morando com os avós e em meio a quatro irmãos, Rony morava em uma casa de barro e não possuía colchão, e no estrado colocava papelão e panos para dormir.

Jogava bola pelo Grêmio de Vila Quadros, seu primeiro time na infância e ajudava na roça da família, fazendo farinha de mandioca. Aos 17 anos, saiu de Magalhães Barata e foi para Belém.

PRIMEIRO CLUBE COMO PROFISSIONAL

Em Belém, foi aprovado no teste do Remo e ingressou no sub-20. Em 2014, disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo time paraense, estando no mesmo grupo que o Corinthians. O Leão ficou em segundo lugar no grupo, mas não avançou para a próxima fase, já que somente os seis melhores segundos colocados avançavam.

Para sobreviver na capital do Pará, Rony trabalhava. Já foi pedreiro, mototaxista e auxiliar de mecânico. Conciliava o trabalho com a vida de atleta e estudante do ensino médio.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

No mesmo ano da Copinha, Rony subiu aos profissionais e estreou com gol, no jogo contra o São Francisco, em casa, pelo Campeonato Estadual. Na partida, o atacante entrou com o time perdendo, e logo invadiu a área, chutou na saída do goleiro e empatou. Mesmo com o Leão de Belém empatando, Roni (na grafia da época) desencantou.

MUDANÇA DE ARES

Em 2015, o Cruzeiro contratou o Rony, com 20 anos, por 700 mil reais, inicialmente para fazer parte do sub-20 do clube mineiro, onde fez 28 jogos e 6 gols. A esperança era ele integrar o elenco profissional do celeste, o que não aconteceu.

A Raposa emprestou o atleta ao Náutico, em 2016, onde começou a deslanchar com boas atuações. Foram 14 gols em 51 jogos.

Créditos: Divulgação/ Albirex Niigata

Em dezembro do mesmo ano, o Albirex Niigata, do Japão, investiu R$ 4 milhões por 80% dos direitos econômicos de Rony, para um contrato de empréstimo de um ano, mas com cláusula de renovação por mais três.

O time japonês acabou rebaixado, mas Rony foi destaque, com 7 gols em 32 jogos e dribles e velocidades, que o destaca atualmente. Mas a queda para a segunda divisão o fez querer voltar ao Brasil, tornando o caso uma confusão judicial.

BOTAFOGO? JAPÃO? CORINTHIANS? ATHLETICO!

O jogador estava emprestado pelo Cruzeiro ao Albirex Niigata por toda a temporada de 2017. Porém, ao final do contrato de 1 ano, a Raposa o envolveu como moeda de troca pelo Bruno Silva, que estava no Botafogo. Rony voltava para o Brasil, já tinha escolhido a casa onde morar no Rio de Janeiro e o Glorioso até o anunciou no Twitter.

Mas o time japonês protestou, eles queriam exercer aquela cláusula contratual de renovação por 3 anos ou uma compensação financeira. Mas no final, não aconteceu nenhuma das duas e sim um processo na justiça.

O Botafogo, com medo de alguma sanção da Fifa, desistiu de contar com o atleta, mesmo anunciando-o. Por isso, O Corinthians acenou com uma proposta de 3 anos de contrato, as negociações avançaram no mês de abril, mas o time paulista também declinou, temendo uma derrota judicial para os japoneses.

Em maio de 2018, Rony entrou com uma ação na Fifa pedindo sua liberação para jogar por outro time. Já o clube do continente asiático o acusou de desobediência do contrato. A Federação permitiu que o atacante rescindisse o vínculo e seguisse sua carreira em outro clube, até o julgamento do caso.

Surgiu, então, o Athletico Paranaense. O jurídico do time de Paraná entendeu que não sofreriam qualquer sanção da Fifa. E no Athletico, Rony se tornou um Furacão.

CONQUISTAS

No clube rubro-negro, Rony foi uma espécie de 12º jogador na conquista da Copa Sul-Americana, em 2018. E foi a peça fundamental da equipe de Tiago Nunes na conquista inédita da Copa do Brasil, vencendo as equipes badaladas de Flamengo, de Jorge Jesus, e Grêmio, de Renato Gaúcho e gol na final contra o Internacional.

Foram 64 jogos no Athletico-PR, com 11 gols e 11 assistências.

MAIS UM IMBRÓGLIO DO ATACANTE

Depois de perderam Michael para o Flamengo, Palmeiras e Corinthians voltaram seus olhos a Rony. Em meios as negociações, o alviverde ficou a frente do seu rival para contratar o atacante, com uma proposta de 6 milhões de euros, com garantias de pagar. Porém, o Athletico não queria se desfazer do atleta.

O clube paranaense fez então uma proposta de 400 mil reais mensais mais 3 milhões de bônus por renovação de contrato. O que agradou a Rony e seu staff. RONY FICA! Comemorou torcida, dirigentes, técnico e elenco. Publicações no Instagram oficial do Athletico com a foto do atacante.

Mas o contrato não foi assinado. O Athletico não depositou o dinheiro. Mario Celso Petraglia, o mandatário do clube, ligou para o diretor de futebol do Palmeiras, Anderson Barros, e perguntou se a proposta apresentada de 6 milhões ainda continuava de pé. A partir do dia 11 de fevereiro, Furacão e Alviverde procuravam fechar as minutas do contrato. E a despedida de Rony foi na final da Supercopa, na derrota para o Flamengo. Nesta sexta (21), Rony foi oficializado como reforço do Verdão.

RONY: O NOVO 11 DO PALMEIRAS

Chegando em São Paulo, Rony confirmou que pediu a camisa 77. A 7 que ele sempre usou é de Dudu. Porém foi vetado pelo Palmeiras, que dispõe de 1 a 30 para jogar a Libertadores (regra da Conmebol) e escolheu a 11.

Em entrevista ao Globo Esporte do Paraná, Rony falou sobre o seu acerto com o Palmeiras: “Determinação não vai faltar. Foco, empenho, vibração dentro de campo. Esse é meu estilo e vou procurar sempre dar o meu melhor para ajudar o Palmeiras”.

LEIA MAIS:

Fim da novela! Palmeiras anuncia contratação de Rony, do Athletico, até dezembro de 2024

Rony projeta concorrência no Palmeiras, pede a camisa 77 e já mira seleção: “É consequência, né?”