Talisca Reis aposta na superação em busca do sonho olímpico: “cada vez mais perto”

Atleta do taekwondo sonha em disputar pela primeira vez uma Olimpíada

Bárbara Ribeiro
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação

Medalha de bronze no Aberto de Fujairah, nos Emirados Árabes, Talisca Reis é uma vitória também da superação. Em entrevista ao Torcedores.com, a esportista contou sobre as dificuldades e expectativas no ano olímpico.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

O Aberto de Fujairah que aconteceu no último final de semana serve como preparação para o Pré-Olímpico que acontece em março, na Costa Rica. Talisca Reis, da categoria até 53 kg, entrou direto nas oitavas de final. Passou por duas lutas, seguiu para a semifinal contra Po-Ya Su, de Taipei. A lutadora de taekwondo, no entanto, perdeu por 14 a 9 e terminou a disputa com a medalha de bronze.

“Feliz com meu desempenho na primeira competição preparatória para o qualificatório olímpico. Estou no caminho certo e ajustando os detalhes para chegar muito bem em março”, celebrou em suas redes sociais.

Superação e persistência

Na temporada 2019, a atleta brasileira sofreu com a falta de investimento e lesões. “Foi um ano que não tive nenhum investimento mensal. Eu me vi como no início da minha carreira”, recordou.

Em 2018, Talisca Reis, que fez parte do time de atletas das Forças Armadas, treinava com o auxílio da Bolsa Pódio. O programa ajudou a esportista a dar impulso em carreira tanto na preparação quanto em participação em torneios. Até que no início de 2019, foi cortada da lista de beneficiados do programa. Na época o governo anunciou corte de 47,5% das bolsas e o fim das categorias atleta estudantil e atleta de base.

“Fiquei sem chão, queria voltar a trabalhar e não estava preparada para isso naquele momento, ano pré-olímpico. Fiquei um pouco abalada psicologicamente e foi aí que Netinho, meu namorado (também atleta da modalidade) não quis deixar eu trabalhar e me apoiava em tudo. Tive muitas competições que a confederação pagou, mas outras tinha que tirar do bolso, e não é só as viagens que pesava e sim também meu custo que tinha com os profissionais que trabalham comigo, e tive total apoio deles”, contou.

Além da falta de investimentos, a lutadora de taekwondo sofreu com várias lesões no último ano. “Passei o ano todo sentindo dor, tive um sério problema de quadril e depois fim do ano foi o meu joelho. No fim do ano tive um tempo para me recuperar”, explica. Agora, a atleta está recuperada e focada no sonho de competir nas Olimpíadas.

“2020 espero um ano melhor, até com perspectivas melhores. Já passei por tantas coisas que estou tão animada por ser ano olímpico e ainda mais por ter chegado o meu momento de ir buscar a vaga olímpica”, completou.

Talisca conta que a força para seguir em frente e superar esses obstáculos vem de dentro. “Meu sonho maior é disputar uns jogos olímpicos é o que eu sempre sonhei. Além disso, minha família me dá essa garra para seguir em frente e realiza-lo”.

“O sonho está cada vez mais perto e me sinto muito motivada e feliz por estar indo buscar essa vaga. Os treinos começaram bem intensos e me sinto preparada e confiante para ir buscar essa vaga”, continuou.

Amor e Taekwondo 

Talisca Reis é namorada do medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, Netinho Marques. Juntos há quase 4 anos, eles moram em Rio Claro, interior de São Paulo, onde treinam. Os dois vivem uma relação de cumplicidade e companheirismo onde um torce pelo outro.

“É muito gratificante ter ele por perto e saber que podemos nos ajudar em todos os momentos, principalmente quando um acorda em um dia não tão bom. Temos um ao outro para nos motivarmos”, conta.

Sobre planos de oficializar a união, Talisca entrega “não sei ainda, quem sabe em um futuro próximo”.

Ver essa foto no Instagram

E aqui estamos mais um dia ❄️

Uma publicação compartilhada por Edival Marques “Netinho”?? (@netinhomarquestkd) em

Leia mais: