Técnico do Barcelona dispara: “Para o Madrid, o jogo é muito mais importante do que para nós”

Quique Setién desembarcou na Espanha na última janela de transferências e se prepara para o seu primeiro El Clásico

Carlos Henrique Correia
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução

Em um dos principais clássicos do mundo da bola, Real Madrid e Barcelona se enfrentam amanhã (1), em jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Espanhol. Em campo, mais do que a rivalidade de sempre, pois o confronto vale a liderança da La Liga. O clube catalão é o primeiro colocado com 55 pontos conquistados, logo atrás aparecem os comandados de Zidane, com 53.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

O recém-chegado, Quique Setién concedeu entrevista coletiva e revelou suas expectativas para o seu primeiro El Clásico. “Pode ser um dia importante. Uma vitória nos daria uma vantagem que não acho suficiente, mas não confio na dinâmica desses jogos. O passado é esquecido e o presente prevalece. Não direi que os pontos foram esquecidos, porque a situação é o que é, mas é um clássico. Estou ansioso para uma partida com alternativas e muito perto. Vamos ver quem faz melhor”.

Apesar de brigarem pela parte de cima na principal competição da Espanha, ambos não venceram no primeiro jogo das oitavas de final da Champions League, o que causou tensão nos bastidores. A equipe do Camp Nou viajou até a Itália para enfrentar o Napoli, mas não saiu do 1 a 1. Já os Merengues receberam o Manchester City e foram derrotados por 2 a 1.

“Não tenho dúvidas de que eles não são contemplativos. Eles não vão esperar por nós, vão nos espremer desde o começo e teremos que andar muito finos para evitá-lo. A cidade foi marcada por uma pressão muito boa”, disse o comandante do Barcelona ao ser questionado sobre a pressão que encontrará no Santiago Bernabéu.

Em outro ponto da conversa com os jornalistas, Setién não quis saber sobre as estatísticas recentes do duelo. O time da capital não vence o maior rival há sete partidas. “Todo ano é diferente. Para Madrid, é vital e muito mais importante do que para nós. Para Madri, é fundamental e decisivo, não tanto, mas importante”, disparou.

LEIA MAIS