De Darío Pereyra a Pedro Rocha: 8 uruguaios que passaram pelo Palmeiras

Alviverde apresentou na última terça-feira (11) o lateral Matías Viña, que chega ao time para a temporada

João Gabriel
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Facebook Palmeiras

Na terça-fira (11), o lateral-esquerdo Matías Viña foi apresentado no Palmeiras. A entrevista coletiva contou com participação de Felipe Melo para resolver qualquer “pendência” com uruguaios. Além disso, ainda houve também as tradições formalidades que acontecem em eventos do tipo.

Entretanto, o jogador está longe de ser um dos primeiros uruguaios que já defenderam as cores do alviverde. Portanto, separamos alguns outros atletas da mesma nacionalidade que atuaram pelo clube brasileiro. Alguns fizeram sucesso, mas outro não deixaram saudades.

Confira uruguaios que passaram pelo Palmeiras

Sebastián Eguren

O volante chegou ao Palmeiras em agosto de 2013 para a campanha na Série B. Ficou até 2015 com muitas oscilações em suas atuações. Em duas temporadas, disputou 28 partidas e balançou as redes em duas oportunidades.

Óscar Aguirregaray

O zagueiro que teve uma passagem marcante pelo Internacional sendo vice-campeão em 1988. Entretanto, com a camisa do alviverde teve passagem sem tanto brilho entre os anos 1990 e 1991.

Víctor Diogo

O ex-lateral é simplesmente o uruguaio com mais atuações pelo Palmeiras. Com um total de 146 partidas, segundo o Almanaque do Palmeiras. Ele totalizou 62 vitórias, 52 empates, 32 derrotas e sete gols marcados. Embora tenha tantos jogos nunca foi campeão.

Darío Pereyra

O ex-zagueiro teve uma passagem marcante pelo São Paulo de 1977 a 1988. Após uma breve passagem pelo Flamengo, chegou ao Palmeiras, em 1989. Porém sem muito destaque e com problemas de relacionamento com então técnico Leão, o zagueiro deixou o Palestra Itália.

Pedro Rocha

O ex-meia/atacante, assim como Dário Pereyra, é outro caso de um ídolo São Paulino que teve uma breve passagem pelo Palmeiras. Pedro Rocha jogou pelo clube rival em 1979, porém não esteve nem perto de repetir o sucesso que teve nos tempos de Morumbi.

Héctor Silva

Fez parte da segunda academia do alviverde entre os anos de 1970 e 1971. Jogou 80 Partidas, com 47 vitórias, 23 empates e 10 derrotas. Marcou 16 gols, segundo o Almanaque do Palmeiras. Entretanto perdeu espaço após a chegado do ídolo da Lusa Leivinha.

Segundo Villadóniga

O uruguaio mais vencedor como jogador o meia conquistou: Campeonato Paulista (1942 e 1944), Taça dos Campeões estaduais Rio-São Paulo (1942), Taça Cidade de São Paulo (1945 e 1946), Torneio de Início Paulista (1946). Isso fez ter uma passagem vitoriosa no Palmeiras.

Ventura Cambón

Ex-meia, foi jogador do então Palestra Itália entre 1930 a 1934, e treinador de 1935 a 1957. Conquistou títulos no alviverde. Entre eles, Torneio Rio-São Paulo (1933 e 1951), Campeonato Paulista (1932, 1933, 1934, 1944, 1950) e principalmente Copa Rio Internacional (1951).

LEIA MAIS:
LUXEMBURGO PREPARA O PALMEIRAS PARA ENFRENTAR MIRASSOL COM VERÓN E VIÑA ENTRE OS TITULARES