Ex-Vasco e Grêmio, volante elogia Jorge Jesus e compara trabalho no Fla ao do Benfica

Jogador lembrou sua passagem em Portugal, quando atuou pelo Porto

Ítalo Bruno
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Aos 31 anos e atualmente vestindo as cores do Al-Ahli, o volante Souza concedeu entrevista à GaúchaZH e falou sobre um futuro retorno ao futebol brasileiro, além de relembrar duelos contra Jorge Jesus, no período em que jogou pelo Porto.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva! Siga o Torcedores também no Instagram

Mesmo com uma passagem curta e onde os títulos não vieram, Souza relembra com carinho a sua passagem pelo Grêmio, e mesmo descartando um retorno ao Brasil atualmente, o jogador coloca o Tricolor Gaúcho ao lado de Vasco (time do coração) e São Paulo, onde também atuou, como os destinos que daria prioridade para um retorno no futuro.

Pegando um gancho no carinho que possui por Vasco e Grêmio, Souza relembrou um episódio de 2019, quando Flamengo e Grêmio se enfrentaram pelas semifinais da Libertadores da América. Souza revelou que assistiu ao lado do ex-goleiro gremista, Marcelo Grohe.

“Ano passado estávamos juntos assistindo à semifinal da Libertadores, torcendo pelo Grêmio. Infelizmente não deu, o Marcelo por ser gremista desde criança, eu por ter jogado no Grêmio e também ser vascaíno, a gente torceu para caramba. Mas não deu certo”, relembrou.

Elogios à Jorge Jesus

Ao lembrar da semifinal da Libertadores, Souza aproveitou e alertou aos jogadores que não atuam no Flamengo para que torçam para que Jorge Jesus deixe o Flamengo. Quando Souza atuava pelo Porto, Jesus era o comandante do rival Benfica. Mesmo com o Porto tendo se dado bem mais vezes naquele período, o jogador não poupa elogios ao treinador do Flamengo.

“O Jorge Jesus realmente tem uma capacidade muito grande de extrair o melhor dos atletas. Os jogadores que vão jogar com ele precisam ter muita personalidade, porque ele cobra muito. O Alan Kardec é meu irmão e a mesma época em que eu estava no Porto ele jogava no Benfica, e a gente sempre trocava ideia. Ele falava muito do jeito de trabalhar do Jorge Jesus, que é um pouco atípico, mas que se você entendesse e aceitasse cresceria como profissional. Isso que ele vem fazendo no Flamengo já fazia há muito tempo no Benfica”, ressaltou Souza.

Esquema do Grêmio

Um dos temas mais debatidos antes da parada por conta do coronavírus, era a utilização de três volantes que Renato Gaúcho vinha fazendo na equipe do Grêmio. Souza minimiza o fato e diz que ser defensivo ou ofensivo tem mais a ver com a ideia do treinador, do que propriamente com a formação utilizada. O jogador acredita que com Lucas Silva, Maicon e Matheus Henrique no meio-campo, e Éverton Cebolinha e Diego Souza à frente, é possível sim que o Grêmio seja uma equipe bem ofensiva.

“Você pode jogar como o Barcelona, com três volantes de origem, e que não deixa de ser ofensivo porque tem lá na frente Messi, Suárez e Griezmann, que fazem a diferença. Quando joguei no Grêmio mesmo, com o Renato, ele usava três volantes. Eu era o mais recuado e jogavam comigo no meio o Ramiro e o Riveros. Aquela equipe jogava um pouco mais recuada, saindo nos contra-ataques. A gente até conseguiu bons resultados, terminamos o campeonato em segundo lugar, e o Cruzeiro foi campeão. Isso depende muito do que o treinador tem em mãos, para saber se é defensivo ou ofensivo. Pode ter três volantes e ser ofensivo, mas depende dos jogadores”, explicou.

Leia mais

Com julgamento na quinta-feira, Musto pode pegar punição de três jogos por expulsão no Gre-Nal

Victor Ferraz fala sobre bom início no Grêmio e ressalta importância de conquistar o título do primeiro turno

Elogiado por Jorge Jesus, Léo Pereira ganha status de titular no Flamengo

Caio Henrique é apresentado e ressalta: “Tudo que o Grêmio entra, entra pra vencer”