Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Fluminense perde ação e pagará dívida milionária para meia argentino

Além das dívidas atuais, o Fluminense acatou outro valor milionário, mas desta vez referente ao meia argentino Aquino, ex-tricolor

Luis Fernando Filho
Jornalista formado, 23 anos, e fanático pelo futebol bem jogado para além das quatro linhas.

Crédito: Divulgação/Fluminense

O Fluminense foi condenado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região do Rio de Janeiro por causa da ação judicial orquestrada por Claudio Aquino, ex-jogador do clube.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Com passagem inexpressiva no tricolor das laranjeiras, o argentino jogou pelo clube em meados de 2016 após vir de empréstimo junto ao Independiente, da Argentina.

O meia argentino atuou em apenas dois jogos pelo Fluminense e teve poucas chances com os técnicos que o treinou. Por exemplo, Levir Culpi e Abel Braga.

Aquino moveu ação contra o time carioca nos valores que giram em torno de R$ 1.260.077,15. Segundo o meia argentino, o mesmo teve o salário diminuído de forma ilícita.

O atleta alegou que o Fluminense tinha responsabilidade sobre o atleta, mesmo quando Aquino havia sido emprestado Belgrana, clube da primeira divisão da argentina.

Na época, meia argentino recebia cerca de R$ 111.964,80 pelo contrato com o Fluminense. No entanto, ele viu seu salário diminuir ao ponto do atleta receber R$ 20.171,50 no time argentino.

Entendo melhor a situação do meia argentino e Fluminense

A defesa de Claudio Aquino detalhou diversos direitos trabalhistas não pagos pelo tricolor. Além disso, a Justiça uma multa referente ao descumprimento da CLT por parte do Fluminense.

Dessa forma, outros fatores previstos na carteira de trabalho do atleta também foram determinantes para a punição sobre o clube brasileiro. Os valores incidem em:

-Luvas, 13º e FGTS

Direitos de Imagem

Redução de salários (ilícita)

Apesar da decisão acatada pela 31ª Vara do Trabalho, o Fluminense ainda pode recorrer da decisão perante à Justiça. Os valores pedidos por Aquino, porém, não serão acatados inteiramente pela juíza.

LEIA MAIS: DEYVERSON descumpre quarentena e leva enquadro da Polícia na Espanha

Sindicato dos Atletas pressiona CBF sobre redução salarial: “Inegociável”