Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Sheik, Luís Fabiano e Pirulito; atacante de 23 anos quebra “maldição” de brasileiros pelo Rennes

Brasileiro de 23 anos é um dos destaques do Rennes na temporada

Matheus Expedito
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. 22 anos. Amante do esporte bem jogado e admirador de boas histórias.

Crédito: Reprodução / Facebook oficial Rennes

Um brasileiro de apenas 23 anos quebrou uma maldição que assombrava os torcedores do Rennes, clube tricampeão da Copa da França e conhecido por revelar bons jogadores aos grandes da Europa. O meia-atacante Raphinha, recém-chegado do Sporting, é o primiero atleta tupiniquim a vingar pela equipe. A relação é grande e conta com jogadores importantes, como Emerson Sheik, Luís Fabiano e Alex Silva.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram 

Por isso, o Torcedores separou uma lista com alguns desses brasileiros que não deram certo pelo tradicional clube francês. Confira:

Lucas Severino

Nesse século o primeiro brasileiro a atuar pelo Rennes foi o atacante Lucas Severino, então garoto de 20 anos, recém-chegado do Athletico. Os dirigentes apostaram alto no jovem, que acabara de ser destaque na Seleção Olímpica nos Jogos de Sydney. Ao todo foi investido 21,3 milhões de euros na aquisição do jogador, até hoje a contratação mais cara da história da equipe.

Em quatro anos na França, Severino não conseguiu desempenhar tudo aquilo que era esperado e foi emprestado para Cruzeiro e Corinthians, clubes onde ele também não fez sucesso. O atacante só vingou mesmo no futebol japonês, onde permaneceu até o final da carreira – chegou a retornar por um breve período ao Furacão.

Luís Fabiano

Considerado um dos grandes centroavantes do futebol brasileiro, Luís Fabiano chegou ao Rennes ao lado de Lucas Severino e do zagueiro Vander – outro que não teve destaque. Ele foi contratado com apenas 19 anos da Ponte Preta e também não conseguiu se firmar no clube. Pouco tempo depois foi emprestado ao São Paulo, onde se tornou ídolo e um dos maiores artilheiros da história.

Alex Silva

O zagueiro Pirulito é mais um caso de aposta mal sucedida da diretoria francesa. Após ser destaque com a camisa do Vitória com apenas 19 anos, o defensor foi emprestado ao clube e nem chegou a estrear oficialmente. Retornou ao clube baiano e rapidamente foi repassado ao São Paulo, onde foi tricampeão brasileiro e convocado para a Seleção Brasileira.

Emerson Sheik

Poucas pessoas sabem, mas o atacante Emerson Sheik teve uma rápida experiência pelo futebol europeu, justamente pelo Rennes, em 2007. Em apenas seis meses pela equipe, o ídolo corintiano atuou em seis partidas e não marcou gols. Posteriormente acabou devolvido ao Al Sadd-QAT, clube que detinha seus direitos federativos.

Emerson Conceição

As boas temporadas com a camisa do Lille elevaram o patamar do lateral-esquerdo Emerson Conceição, tanto que as duas passagens bem questionáveis por Benfica e Trabzonpor não afetaram no julgamento da diretoria do Rennes para contratá-lo em 2013. Mais uma vez a maldição fez outra vítima, tendo em vista que o defensor não chegou nem perto de sua primeira passagem pelo país.

Pedro Henrique

Bem menos conhecido que o restante dessa lista, o atacante Pedro Henrique foi o brasileiro com maior regularidade no clube, até então. Com passagens pelas categorias de base do Grêmio, o atleta ficou três temporadas na França e teve um desempenho regular nesse período. Acabou vendido ao futebol grego em 2017, para atuar no PAOK, onde se tornou campeão da Liga Grega.

Raphinha

Como já mencionado anteriormente, o atacante Raphinha quebrou a maldição de brasileiros no clube. Ele tem sido o grande nome da equipe na temporada, com assistências e gols importantes na Liga Francesa. O bom futebol despertou elogios da mídia local. Inclusive a France Football, um dos maiores veículos de comunicação esportiva do mundo, o colocou entre os melhores da competição nacional.

LEIA MAIS: