Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Coronavírus: Elenco da Roma decide ficar sem salário por quatro meses

Daniel Fuzato, Bruno Peres, Roger Ibañez, Juan Jesus e Felipe Galeazzi são os brasileiros na Roma

Wilson Pimentel
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação /Roma

A Série A do Campeonato Italiano está suspensa desde 9 de março devido a pandemia do novo coronavírus. A Itália é o segundo país que mais registra mortes por Covid-19. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 23.227 pessoas morreram em virtude do vírus. Por isso, a Federação Italiana de Futebol não sabe quando a competição será reiniciada. Afinal, os dirigentes seguem colaborando com as autoridades governamentais a fim de conter o avanço da doença.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

Siga o Torcedores também no Instagram

Com isso, os jogadores e a comissão técnica da Roma concordaram em ficar sem salário por quatro meses. A medida visa ajudar o clube enquanto durar o surto do coronavírus. Segundo o clube, a verba será destinada ao pagamento dos salários de outros funcionários. A princípio, a diretoria colocou 200 colaboradores no sistema de segurança social do governo italiano para garantir que recebessem sua renda mensal regular.

Pelo acordo, o elenco não vai receber não vai receber os vencimentos de março a junho. Caso a temporada seja reiniciada, haverá uma negociação com a diretoria para o pagamento de bônus e premiações ligadas a metas atingidas. O CEO da Roma, Guido Fienga, disse que os jogadores se colocaram à disposição para ajudar os funcionários mais humildes do clube.

“Sempre conversamos sobre a unidade na Roma e, voluntariamente, cortamos seus salários pelo resto da temporada. Os jogadores, o treinador e sua equipe provaram que realmente estamos em isso juntos. Edin Dzeko (capitão do clube), todos os jogadores e (técnico) Paulo Fonseca demonstraram que entendem o que esse clube representa e também agradecemos a todos pelo excelente gesto em relação aos funcionários deste clube”, revelou.

De acordo com Guido Fienga, os jogadores estão cumprindo uma rotina de exercícios em casa meio à quarentena. O dirigente garante que o elenco está pronto para voltar aos gramados o mais rápido possível.

“Estamos monitorando os treinos de todos os jogadores em casa. A comissão técnica está elaborando relatórios diários e os restados têm sido bem satisfatórios. Mas sabemos que tudo isso não será suficiente para enfrentar as consequências quando a temporada for reiniciada. Porém, temos o compromisso de tomar medidas que possam ajudar no bem-estar dos nossos jogadores”, finalizou.

Roma serve de inspiração para outros clubes italianos

O Cagliari, Juventus e Parma trabalham para seguir os passos da Roma e reduzir os salários de jogadores e comissão técnica. Por outro lado, os dirigentes ainda não têm uma opinião formada sobre um corte salarial prolongado. Afinal, o Sindicato dos Jogadores Profissionais Italianos argumenta que alguns clubes com menor investimento podem ter dificuldades para negociar um corte devido à ausência de receitas com a suspensão do futebol.

LEIA MAIS: