Luis Enrique propõe à Federação Espanhola uma redução de 25% no próprio salário

Com o adiamento da Eurocopa, entidade máxima do futebol Espanhol terá déficit de 15 milhões de euros

Carlos Henrique Correia
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução / Facebook Oficial Selección Española de Fútbol (SeFutbol)

Devido à pandemia do novo coronavírus, o futebol está paralisado há alguns meses. Com campeonatos suspensos, demissão de funcionários e jogadores que estão com seus salários reduzidos, o impacto econômico já é notável no mundo da bola. Para tentar ajudar neste momento, Luis Enrique, técnico da Espanha solicitou, por iniciativa própria, à federação uma redução de 25% em sua remuneração, de acordo com informações publicadas no jornal ‘AS’.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

A Espanha completou seis meses sem jogar e com o adiamento da Eurocopa para o verão de 2021, o time ainda ficará mais meio ano sem entrar em campo. Federações de basquete e handebol, por exemplo, renegociaram os valores contratuais de seus empregados.

Apesar disso, a Federação Espanhola de Futebol (RFEF) não fez o mesmo com o ex-treinador do Barcelona, que tem seu vínculo firmado até a próxima Copa do Mundo, que será disputada no Catar, em 2022. Ainda assim, o comandante propôs esse novo acordo para auxiliar na retomada da crise.

A parada do esporte fez com que dois amistosos dos espanhóis, que aconteceriam em março contra Alemanha e Holanda, resultasse em déficit no caixa. Além dos jogos contra Portugal e Lituânia, que estavam previstos para o mês de junho.

Mas a principal perda para os dirigentes do futebol espanhol é o adiamento do torneio continental que seria disputado em diversas sedes e renderia 15 milhões de euros, cerca de 88 milhões de reais na cotação atual.

Apesar do momento cauteloso e da atitude generosa de Luis Enrique, a situação geral das receitas da RFEF, ainda é muito boa. Um exemplo disso é que a Supercopa da Espanha, que foi comprada por três edições pela Arábia Saudita, resultou em 120 milhões de euros para a federação.

LEIA MAIS