Relembre a passagem do craque do futsal, Manoel Tobias, nos gramados

O ícone do futsal, considerado um dos maiores da história no esporte, completa 49 anos neste domingo (19)

Edvaldo Mateus da Silva Medeiros
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação / #manoeltobias

Manoel Tobias, jogador de futsal que entrou para história como um dos melhores da modalidade, também teve uma curta passagem no futebol de campo. A chance de atuar nos gramados foi dada pelo Grêmio, em 1996. No tricolor gaúcho, o atleta que no futsal era um fixo, se tornou meio-campo. A carreira no campo não decolou e durou apenas quatro meses, depois Tobias retornou ao mundo das quadras.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva! Siga o Torcedores também no Instagram

A passagem do jogador pelo imortal gaúcho teve início em janeiro de 1996. Na época, Tobias chegou com moral no clube, já que era considerado o melhor da sua geração (década de 90) nas quadras. No final de 1995, quando o fixo atuava no futsal gaúcho, houve o convite do Grêmio para que ele reforçasse o elenco do tricolor e fosse atuar no campo. Vale ressaltar que o imortal era naquele momento o atual campeão da Libertadores.

Tobias então iria atuar ao lado de nomes como Arce, Roger, Dinho, Paulo Nunes e Jardel, com o comando de Felipão no banco. Só que apesar dos companheiros consagrados ao lado, as coisas não deram certo. Com apenas um gol marcado, o meia voltou a ser fixo.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

E o retorno ao futsal foi para vestir justamente a camisa do maior rival gremista, o Internacional.

Manoel chegou foi bicampeão mundial (1992 e 1996) pela seleção brasileira de futsal, foi heptacampeão da copa américa de futsal (1992, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999 e 2000) e três vezes o melhor jogador de futsal do mundo, em 2000, 2001 e 2002.

LEIA MAIS:

De Júnior a Léo Moura: jogadores com mais atuações pelo Flamengo

De Júnior a Léo Moura: jogadores com mais atuações pelo Flamengo

 

Campeão da Libertadores em 99, Paulo Nunes relembra relação com Felipão: “Meu segundo pai”

Campeão da Libertadores de 99, Paulo Nunes relembra relação com Felipão: “Meu segundo pai”