Sadio Mané completa 28 anos: construiu escola e hospital em sua cidade natal e até fugiu de casa para jogar Futebol

Atacante senegalês é um dos principais nomes do Futebol mundial, acumulando títulos pelo liverpool; conheça a trajetória de Mané

Didé Fontana
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Foto: Divulgação

Um dos atuais artilheiros do Liverpool, tendo conquistado recentemente, títulos como a Liga dos Campeões da UEFA e o Mundial de Clubes, o senegalês Sadio Mané completa nesta sexta-feira (10), 28 anos. Artilheiro por onde passou, o senegalês acumulou passagem em clubes como Southampton, Red Bull Sazlburgo da áustria, Metz da França e Génération Foot, clube que iniciou a carreira em Senegal. Além de participações em clubes, Sadio Mané atua pela seleção principal de seu país.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Infância em Senegal

Sadio Mané nasceu em Sédhiou, região com uma distância de seis horas de carro até a capital do país, Dakar. Foi em Bambali, vila em que Mané viveu sua infância e adolescência, e sonhando em ser jogador de Futebol. Em Sédhiou, estima-se, segundo o Banco Mundial que 70% das famílias vivem na pobreza.

Aos sete anos, Mané viveu seu primeiro drama na vida com a perda de seu pai. “Antes do meu pai morrer, ele ficou doente por semanas. Nós trouxemos alguns medicamentos tradicionais e isso o ajudou por três ou quatro meses. A doença voltou, mas dessa vez os remédios não funcionaram.” relatou o craque ao The Guardiann. Na época, não existia um hospital em Bambali, então levaram seu pai a uma vila mais próxima, mas sem sucesso de salva-lo.

Era para ser professor

Ao menos, era isso o que seis pais queriam do garoto que só queria jogar Futebol. “Eu nasci em uma vila que nunca viu uma pessoa sair dali para ser jogador nas grandes ligas. Eu me lembro que, quando era pequeno, meus pais sentiam que eu deveria estudar para me tornar um professor. Eles pensavam que o futebol era perda de tempo e que eu nunca teria sucesso nisso.” relembrou o atacante em uma entrevista ao Bleacher Report. 

Fuga para jogar Futebol

Após a perda do país, Mané se sentiu na responsabilidade de um dia poder ajudar a família, como dissera na entrevista ao The Guardian “Quando eu era jovem, meu pai sempre me dizia o quanto ele se orgulhava de mim. Era um homem de grande coração. Quando ele morreu, teve um grande impacto em mim e toda a família. Falei para mim mesmo: ‘Agora preciso fazer o máximo para poder ajudar minha mãe.’ É uma coisa difícil para lidar quando se é tão novo.

Sempre confiante em si mesmo, Mané não tinha, inicialmente, o apoio da família para ingressar no Futebol. Foi com a falta de apoio que, fugiu de casa aos 16 anos e rumou a Dakar para participar de uma peneira. “De manhã, eu escovei os dentes e nem tomei banho. Saí sem falar para ninguém, a não ser meu melhor amigo” relatou em uma entrevista a revista France Football.

Na peneira em Dakar, o então garoto sonhador fez testes com chuteiras remendadas, e na época um homem mais velho o questionou. “Ele me perguntou ‘você está aqui para o teste?’ Eu disse que estava. Ele me perguntou, ‘com essas chuteiras? Olhe para elas. Como você pode jogar com isso? ‘. Elas eram ruins, muito ruins – rasgadas e velhos. Então ele disse, ‘e com esse calção? Você nem tem calções de futebol adequados?” lembrou Mané ao Goal.com

Após a peneira, Mané conseguiu ingressar no Génération Foot, acadêmia de jovens atletas do país que formam jogadores profissionais. A acadêmia é referência em formação de atletas no país, inclusive contando com uma parceria direta com o Metz, da França.

Rumo à Europa

Foi através desta parceria com o Metz que Mané rumou para a Europa aos 18 anos. Também foi nessa época que resolveu ligar para dizer à sua mãe, “estou na França”.

O início de sua temporada na Europa foi discreto, estreando pelos profissionais em janeiro de 2012. Jogou pouco na temporada, com a equipe terminando na 18 º colocação da segunda divisão francesa.

Primeiro título profissional

Ainda em 2012, o senegalês foi vendido ao Red Bull Salzburgo da áustria por 4 € milhões. Foi jogando no clube austríaco que, começou a se destacar, faturando seu primeiro título. Em sua primeira temporada, Mané marcou 19 gols em 29 partidas jogadas, sendo o segundo artilheiro da equipe.

Na temporada seguinte, os números melhoraram, marcando 23 gols em 50 partidas, tornando-se o terceiro artilheiro da equipe. Foi na temporada 2013/14 que os títulos vieram, com a Liga Austríaca e a Taça Austríaca. Tais títulos seriam conquistados novamente por Mané na temporada seguinte.

Inglaterra

Já campeão austríaco e um dos artilheiros com 45 gols em 87 jogos pelo RB Salzburgo, Mané buscou novos ares, o destino: Inglaterra. O desafio era grande, pois iria para o Southampton disputar a Premier League, uma das ligais mais competitivas do mundo. Sadio Mané foi vendido pelo valor de 23 € milhões.

Sua estreia no clube inglês foi em uma copa nacional, e começou com o pé direito, com uma vitória por 2 a 1 contra o Arsenal. A primeira vez que balançou as redes foi pela badalada Premier League, em uma vitória por 8 a 0 contra o Sunderland.

Em sua primeira temporada pelo clube inglês, Sadio Mané marcou 11 gols em 32 partidas, terminando junto a equipe, na sétima colocação da Premier League.

Na temporada seguinte os números subiram para 15 gols em 43 partidas, chegando na sexta colocação da Premier League com o Southampton.

Liverpool e a glória

Com boas atuações nas últimas duas temporadas no Futebol inglês, era hora de buscar voôs mais altos. Em 2016, foi transferido ao Liverpool pelo valor de 41,20 € milhões, estándo até hoje na equipe.

Inicialmente, vestiu a camisa 19, mas após a saída de Philippe Coutinho, passou a vestir a 10. Foi no Liverpool que Mané conquistou os principais títulos da carreira como a Liga dos Campeões da UEFA em 2019 e o Mundial de Clubes no mesmo ano.

Na temporada passada, o senegalês chegou a ser o artilheiro da Premier League com 22 gols, ao lado de Mohamed Salah e Pierre Aubameyang.

Seleção e Copa do Mundo

Sua estreia pela seleção de Senegal foi em 2012, e a estreia em Copa do Mundo se se deu em 2018, na Rússia. Era a segunda vez que Senegal participara de uma edição do mundial (a primeira foi em 2002). O atacante teve participação importante na classificação de Senegal nas eliminatórias africanas marcando dois gols e quatro assistências em oito jogos.

No mundial, o país africano não se classificou na fase de grupos e Mané marcou apenas um gol, em um empate em 2 a 2 contra o Japão.

Apesar do fraco desempenho junto a Senegal na Copa do Mundo, o país chegou a final da Copa Africana em 2019, perdendo para a Argélia. Em seis jogos, Mané marcou três gols.

Não curte balada e nem videogame

É tradição ver grandes jogadores em casas noturnas ao redor do mundo, mas Sadio Mané foge a regra. “Nunca fui a uma festa por minha conta. Nunca me passou pela cabeça. Se não dou tudo o que tenho para ser um bom jogador, nunca conseguirei”, disse o atacante em uma entrevista ao jornal Marca.

Além de não gostar de festas, Mané também fica longe do videogame, coisa que muitos atletas gostam de fazer em seu tempo livre. ““Nunca gostei. Nunca joguei. Acho que é algo que te rouba o tempo. Eu não quero perder o meu tempo por nada”.

Melhor jogador africano em 2019

Em janeiro deste ano, o atacante senegalês recebeu da Confederação Africana de Futebol o melhor jogador do continente em 2019. Mané superou o egípcio Mohamed Salah (seu companheiro do Liverpool) e o argelino Mahrez, do Manchester City.

Financiando escola e hospital em terra natal

Motivado pela perda de seu pai na infância, Mané financiou a construção de um hospital na vila de Bambali. O prazo de conclusão das obras é de seis meses.“Lembro que minha irmã também nasceu em casa porque não há hospital em nossa aldeia. Foi uma situação muito, muito triste para todos. Eu queria construir um para dar esperança às pessoas” disse o atacante ao The Guardian. Além do financiamento de um hospital, o jogador já financiou uma escola em Bambali em 2019

Doação para o combate ao COVID-19

No dia 17 de março, Sadio Mané fez uma doação de 45 mil euros para o comite nacional de seu país para combater o Coronavírus. Segundo seu empresário em entrevista à BBC , o jogador fez a doação de espontânea vontade.

Documentário “Sadio Mané: Made in Senegal”

Recentemente, foi lançado pela Rakuten TV e pelo Canal+, um documentário sobre o jogador. O documentário mostra as origens do jogador, com depoimentos dele mesmo e de outros grandes nomes do Futebol, como de seu atual técnico, Jurgen Klopp e de seus companheiros como Mohamed Salah.

 

Técnico do Liverpool, Klopp relembra quando rejeitou Mané: “Me enganei”